Recomenda-se:

Netscope

Wednesday, August 12, 2015

Termómetro do ciúme: em 1961...e hoje

Uma "escala mundial do ciúme" elaborada por psicólogos

" O ciúme tem sempre por base um complexo de infantilidade, porque quem é tendente a este defeito possui um espírito que não se fez adulto. Será mais ciumento o homem ou a mulher? Geralmente é a mulher, porque é particularmente exagerada nos seus defeitos (...). Em contrapartida os excessos de ciúme, inclusive os crimes passionais, são mais frequentes nos homens do que nas mulheres, porque estas suportam melhor o tormento do ciúme e não temem tanto como o homem o ridículo da traição, que faz explodir os seus sentimentos de forma violentíssima.
(...) um conselho a todos os ciumentos: é preciso pensar que este defeito pode matar o amor mais forte...".

in Crónica Feminina, Junho de 1961

 Este curioso artigo vinha acompanhado de um gráfico (acima) que indicava, de acordo com cada país, "o número de ciumentos e a intensidade do ciúme".  Não sei ao certo como se mede tal coisa numa população inteira, mas suponho que tenham usado um questionário semelhante a este, que ilustrava o mesmo texto:


Tem graça observar que nos nossos dias, muita gente podia perfeitamente rever-se neste "termómetro do ciúme". 

Basta substituir, na sexta questão (para eles) "uma carta na carteira" por uma espreitadela não autorizada ao telemóvel e (nas questões femininas), "mandar alguém vigiá-lo" por um intenso controlo do facebook e instagram.  De resto, tudo igual. É claro que algumas perguntas indicam um ciúme perfeitamente saudável ainda hoje: responder afirmativamente a 3 ou vá, 4, não é nada do outro mundo. Que um homem não goste de ver a sua mulher feita Kim Kardashian ou coisa pior na rua, é um elogio que lhe faz. Mas se a ideia dele de "roupa provocante" é um vestido minimamente cingido, ou um ligeiro decote nas costas; se lhe faz uma cena simplesmente porque ela foi alvo de admiração numa festa; e no feminino, se basta o esquecimento de uma data para se sentir traída ou algo tão inócuo como "a tua amiga é tão simpática" para perder o juízo, algo não bate certo.

O "monstro de olhos verdes": a temperar ou tornar intragáveis os relacionamentos desde que o mundo é mundo...



No comments:

Textos relacionados:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...