Recomenda-se:

Netscope

Wednesday, September 16, 2015

A dica de styling mais simples, mas infalível (para eles e para elas)

Sofia Vergara e Joe Manganiello: um casal que
sabe vestir para equilibrar curvas e músculos.

Acertar nas proporções é - a par com a qualidade dos cortes e tecidos - um passo essencial para garantir que qualquer trapinho cai bem.

 Porém, a questão pode ser confusa para quem não tem prática.

Conhecer bem o seu tipo de silhueta (ver dicas no masculino e no feminino) e comprar de acordo com isso é um hábito que demora um pouco a interiorizar.

No entanto, há uma regra básica, básica, que já abordámos aqui e noutros posts: nunca falha e é válida para senhoras e cavalheiros. 

 Mesmo aplicada per se, elimina à partida boa parte da vulgaridade de um coordenado ou guarda roupa.


Kate Moss e Johnny Depp: o eterno exemplo de elegância para figuras "miúdas"

 Chamo-lhe "Lei do Volume Necessário". Ou seja, basta olhar para o espelho com a maior honestidade e pensar: "preciso de mais volume?" ou pelo contrário, " tenho volume q.b." ou "a minha figura ganharia se parecesse mais delgada".

Isso não depende necessariamente de precisar de perder ou ganhar peso/centímetros, mas da sua estrutura física. 

Em concreto, uma mulher que além de ser magra, tenha uma figura mais arrapazada, estilo Kate Moss ou Alexa Chung (anca estreita, membros esguios, busto pouco acentuado) só tem a ganhar se vestir o que normalmente está vedado às outras - desde que tenha um rosto que combine com isso, claro.



 As saias bandage, decotes de governanta muito fechados, algumas peças XXL,  mini saias justas (que "engordam" quase toda a gente) os decotes profundos para a noite, sobreposições de peças, botins justos ao tornozelo, jerseys, malhas, tecidos que colem mais ao corpo e roupas ameninadas - que noutras mulheres ficam arriscadas demais, provocantes ou ridículas - caem a matar num corpo muito delgado, pois acrescentam alguns centímetros bem vindos. Numa silhueta de "sílfide" um vestido revelador parecerá sempre mais inocente. É por isso que tantas criações que parecem razoáveis na passerelle podem resultar vulgares numa Beyoncé.




Pelo contrário, quem tem curvas e alguma massa muscular (por muito magra e elegante que seja) deve procurar o equilíbrio, para que as formas não fiquem exageradas.

 A roupa deve ser (conforme a peça e a zona do corpo que pretende realçar ou disfarçar) cingida ao corpo, mas não exageradamente justa nem coleante (ex: vestidos, blusas) ou pelo contrário, folgada, mas não "flutuante" em demasia (e.g: casacos, camisas). Convém escolher tecidos consistentes, ainda que leves.



O mesmo se aplica aos cavalheiros. Quem faz o tipo esguio, seja um esguio musculado como Bruce Lee ou uma "silhueta de Narciso" estilo David Bowie, pode brincar com estilos mais alternativos - como o hipster, nerd, mod...-   ou nos fatos e roupa clássica, com uma linha mais estreita, com o dandy e o corte italiano. São "permitidas", sem exagero, as t-shirts um pouco justas, as calças skinny para homem, as inspirações rock & roll, um toque andrógino, enfim, tudo o que pareceria demasiado adolescente ou disparatado num homem muito grande.



Já quem tem uma estrutura imponente - seja encorpada, espadaúda, musculada ou cheiinha (isto independe de ser mais ou menos "elegante") deve fugir daquilo que é exageradamente justo ao corpo, porque o volume já está lá e qualquer excesso fica grosseiro (a não ser que trabalhe como bailarino e aí em horas de trabalho, vale tudo).

 Mesmo que se mate no ginásio para esculpir uns bonitos ombros em V, acredite que eles se notam sob o casaco, assim como os peitorais se adivinham por baixo de uma camisa convenientemente folgada, de uma t-shirt de bom algodão para os fins de semana, etc. Qualquer que seja o seu estilo, a roupa deve transmitir alguma solidez. 



Imagina Clark Gable de calções e t-shirt curta? Não, pois não? Não quer isto dizer que adopte um look largueirão, pelo contrário - mas tal como no caso feminino, convém encontrar a diferença entre "cingido" e "justíssimo", evitar os tecidos muito delicados e tudo o que pareça algo teenager. O mais clássico (no que concerne a fatos, de preferência corte inglês e americano) e o american sportswear são a melhor orientação. Marcas que têm atletas e desportos como o rugby por inspiração são sempre boas pistas.

Fácil, não é? Basta não acrescentar nem diminuir onde não é preciso, e está no caminho certo...





No comments:

Textos relacionados:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...