Recomenda-se:

Netscope

Saturday, October 3, 2015

10 passos (sem tretas) para gostar do seu corpo tal como ele é


Atravessamos uma fase estranha em termos de imagem corporal e auto estima feminina: por um lado, de repente meio mundo se maquilha como se estivesse num estúdio de TV, usa imensos filtros em qualquer selfie tirada à pressa, aderiu à febre do fitness e cultiva um visual a roçar a vulgaridade, num desespero por parecer sexy à força; por outro, os movimentos pela "beleza real", embora bem intencionados, convidam as mulheres a expor ao mundo o pior de si próprias em busca de aplauso, em modo "sofrimento adora companhia". Cai-se numa vaidade extrema ou num "nivelar por baixo" que é constrangedor de ver. No meio de tudo isso, parece não haver lugar para uma forma equilibrada de auto estima: gostar do corpo com que se nasceu tal como ele é, é uma forma de elegância. Mas também é necessário cuidar dele porque nada vem grátis neste mundo e sem serenidade e discrição, não há "imagem corporal positiva" que valha.

1 - Cuidado com as imitações, comparações e o beauty shaming

A sua melhor forma (e a que mais lhe convém) não é necessariamente a da Beyoncé ou de um anjo da Victoria´s Secret. No entanto, não há nada de errado em inspirar-se numa celebridade, desde que escolha uma com um tipo físico semelhante ao seu e trabalhe para isso. Concentre-se no que está ao seu alcance,em vez de se lamentar por não ter ou ser assim e assado. Depois, há que deixar lá as outras. É muito feio ver mulheres a dizer de outra que tem uma silhueta trabalhada "essa não faz nenhum, é uma fútil, vive para a beleza etc". Quem deixa escapar tais desabafos devia saltar para o chão e fazer 30 flexões e 30 abdominais de cada vez, como no Exército. 


2 - Mão leve no photoshop

Nada contra pequenos retoques - às vezes salvam um retrato que ficou estragado porque um pouco de luz bateu em cheio no nariz ou uma imagem fica mais interessante com um filtro, etc. Mas a quantidade de aplicações de edição - até nos telefones -  levou a um exagero que é ridículo. 
Preocupe-se em ter uma pele linda na realidade, e isso aparecerá na câmara.


3- A censura é um direito!

Se alterar retratos  até ficar quase irreconhecível é um disparate, também há o outro extremo: a moda das constantes selfies (suas e dos amigos) pode ser danosa não só para a imagem (o que é demais é moléstia, incluindo a vaidade) mas para a auto estima. Se não gosta de se ver numa imagem, não a mostre ao mundo. Mesmo que digam que é um instantâneo descontraído, na brincadeira, e lhe chamem desmancha prazeres. Depois, ser fotografada no ginásio, com um ar despenteado, vermelhusco e transpirado (blhec!) não é exactamente glamouroso. Faça como as estrelas de cinema de antigamente e não permita que o mundo a veja de qualquer modo e feitio. Quando se trata de fotografia, mais vale pouco e com impacto!

4- Seja mesmo disciplinada com o exercício e os cuidados de alimentação e beleza...mas gentil consigo mesma.

 Roma e Pavia não se fizeram num dia. Em certas situações (gravidez, doença, alteração hormonal, efeitos secundários de medicação, etc) o corpo, a pele ou o cabelo não obedecem logo ao que se quer. É preciso encontrar a receita certa (e quando se encontra os resultados são mais rápidos, mas não instantâneos) e insistir nela até estar satisfeita. Um dia de cada vez! Pense que está a ficar cada vez mais bonita -  jamais "nunca vou recuperar". E livre-se de não se embonecar até lá, porque está à espera de emagrecer/tonificar/etc: vá praticando desde já com o que tem, e amanhã Deus dará.

5- Um dia não são dias.

A avó sempre disse "quando o corpo pede mesmo, não faz mal nem engorda". Ela acreditava na ideia popular de que privar-se de um alimento que apetece desesperadamente sem explicação pode ser danoso para o organismo. E se calhar há um fundo de verdade nisso: pode haver falta de um nutriente qualquer, daí a vontade...
Se o caso for persistente - um desejo constante de chocolate, por exemplo- pode ser boa ideia perguntar ao médico, mas seja tolerante com apetites pontuais. Evite apenas a "gulodice gratuita" e o "comer por vício".



6 - Não creia em mitos de preguiçosas!

"Depois da gravidez/ X idade/etc, o metabolismo nunca mais volta a ser o mesmo", e coisas desse género. O corpo tem fases, não necessariamente irreversíveis, e decerto não há dois organismos iguais. Muita gente tem mais domínio sobre o corpo depois da primeira juventude. Mais vale ter 45 anos e um corpo de 30 do que 20 anos e um corpo de 40, e quantos casos conhece assim? Na dúvida, não se conforme e continue a trabalhar, pois de certezinha que não consegue o derrièrre que quer sentada nele.


7 - Seja glamourosa, mesmo que não lhe apeteça

A beleza também é um hábito e uma rotina que se ganha. Faça por estar bonita - ou no mínimo, muito apresentável - esteja onde estiver. Nunca se sabe.


8 - Declare guerra aos disparates da "beleza real"

É claro que mulheres bonitas vêm em diferentes feitios e que perfeição não existe. Mas este "movimento", inicialmente bem intencionado, rapidamente se tornou uma desculpa para invejinhas, attention whoring, desleixo e wishful thinking. Mulheres a exporem-se no seu pior para dar nas vistas, todas despenteadas e a fotografar mazelas nas redes sociais, com dizeres parvos do estilo "viva a celulite" e "as estrias são lindas" não ajudam mulher alguma a sentir-se mais bela. Quem se foca no feio, esquece-se de realçar o que tem de bonito. "Beleza real" é uma mulher vestir algo que realce o seu bonito decote enquanto cobre habilmente a barriga de que não gosta tanto, por exemplo. Não é pôr um crop top a mostrar o que tem de pior, rezando para que a elogiem porque "as pançudinhas também podem". É pintar os lindos olhos, tirar o melhor partido de um belo cabelo, vestir um outfit que a faça parecer uma estrela de cinema e ir para a rua bem disposta - não tirar selfies em lingerie, com o cabelo molhado e cheia de olheiras e escrever que "corpos reais também são bonitos". Reais somos todas - há quem se esforce e quem seja desleixada. Há quem seja discreta, o que é sempre bonito e elegante, e quem adore palmadinhas nas costas. Todas as mulheres deviam pôr em prática a máxima das senhoras de outros tempos: não mencione os seus defeitos. Quanto mais mostrá-los!

9 - Encontre a "coisa certa"

O bikini, a lingerie , a costureira, a rotina de cabelo e maquilhagem, o exercício e o guarda roupa certos para si. Quando os achar, saberá, pois conseguem resolver todas as maleitas e fazê-la sentir-se fantástica sem um esforço extenuante.


10- Sem vaidade desmedida, encante-se consigo própria

Descubra as suas qualidades e apaixone-se por elas. Sinta-se irresistível ao espelho e será atraente para os demais. E isto não é treta. Funciona - experimente e divirta-se no processo.




1 comment:

Maria Francisca said...

passo nº11, caso nada disso funcione: uma sessão de psicoterapia por semana nem sabe o bem que lhe fazia. (não a si, Sissi, mas a quem se consome muito com isto) E falo por experiência própria!

Textos relacionados:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...