Recomenda-se:

Netscope

Monday, October 12, 2015

7 dicas sobre isso de ser sexy e da "deusa interior"

Claudia Cardinale

Por aqui não se fala muito de "sensualidade feminina", por duas razões: a primeira é que a palavra tem sido batida à exaustão e de tal maneira que recupera a sua conotação original - que é negativa, no sentido de uma sensualidade bestial e grosseira. As mulheres mais vulgares são automaticamente chamadas "ousadas e sensuais". Se um homem quer elogiar mas é um bruto sem maneiras, dirá logo "és (ênfase no "tu") muito sensual" (e se um desconhecido vos disser tal, isso não é Impulse; é sinal de alarme para pôr o galã a andar).

A segunda é que sensualidade anda de mãos dadas (ou é uma consequência natural) do exercício da feminilidade e da beleza. Está implícita.

Ser discreta, elegante e feminina não significa ser demasiado austera, uma Rainha do Gelo, ou deixar de ser sexy. Há o sexy vulgar e o sexy discreto, que é inato numa mulher cuidada e confiante. Há o sexy óbvio e fora de propósito, e aquilo que se deve guardar para a privacidade de cada uma. Em muitas raparigas e mulheres, quase é mais necessário disfarçar um pouco a sensualidade exuberante do que realçá-la. A vaidade e a soberba são grandes armadilhas para isso, e em casos assim a mulher terá mais a ganhar se deixar transparecer também outros aspectos da sua personalidade: a bondade, o intelecto, a serenidade...



 Mas há outras tantas senhoras e meninas- e fico surpreendida de conhecer algumas- que afirmam nunca se terem sentido sexy, ou terem deixado de o sentir após uma crise pessoal, um problema de saúde, a maternidade ou o fim de um relacionamento. Sentir-se sexy anda sempre lado a lado com a auto estima, com a autoconfiança. Uma mulher que se sinta tão sexy como uma batata crua, mal amada ou menos bonita, não pode agradar à pessoa que tem a seu lado - ou se estiver sozinha, dificilmente vai atrair o homem dos seus sonhos. E embora beleza ou sex-appeal sejam uma pequena parte da vida, afectam a confiança em todas as áreas. Quem está em baixo pode ter mais dificuldades em mostrar o melhor desempenho no trabalho ou dar o seu melhor junto da família, ser menos paciente e caridosa para com os outros, e por aí fora...

E quando é assim - ou porque os maus momentos assistem a todas e practice makes perfect - há que exercitar a feminilidade.


1- Be italian- apurar os sentidos



"Sensualidade" está ligada aos 5 sentidos, a um certo hedonismo. Uma mulher sensível ao que a rodeia, cheia de vida, torna-se muito mais apelativa do que uma enjoada que torce o nariz a  tudo. Os italianos são peritos nisso: apreciar a boa comida, a boa música, os bons vinhos, os bons perfumes e outras pequenas alegrias (como o café pela manhã, um passeio no campo ou a brisa do mar) deleitar-se com o toque de um tecido suave, em suma, tirar partido dos luxos - tantos deles gratuitos - que a vida oferece, pode fazer mais pela sensualidade feminina do que coisas artificiais, estrambólicas (e decididamente vulgares) como aceitar a sugestão daquela amiga bem intencionada, mas tola, para "fazer um book sexy" ou "ter aulas de dança do varão" (o que não tem grande utilidade a não ser que se considere mudar de profissão -  aí eu guardo a minha opinião comigo e não digo mais nada...).

2 - Em vez de fazer queixinhas, fazer exercício




Sobre isso, muito já foi dito por aqui. É muito mais fácil sair todos os dias, vestir todos os dias e olhar para o espelho com confiança se se gostar (e gostar realmente) daquilo que o espelho mostra. E quem treina em casa, o que é super aconselhável a quem é disciplinada, pode aproveitar para o fazer ao som da musiquinha mais sugestiva e serpenteante de que se lembrar.
 Certos ícones pop não são grandes exemplos para os adolescentes, mas têm música excelente para estas ocasiões - qualquer álbum das Pussycat Dolls ou afins transforma uma sessão dolorosa de exercício em algo bem divertido (além de manter os olhos e os ouvidos focados no objectivo, porque as Pussycat Dolls eram mesmo giras e com tudo no devido lugar).


3 - Dançar (nem que seja sozinha)



Ter em público (e nem sempre rodeada das melhores companhias) aulas de danças questionáveis, como agora está na moda, pode voltar a rapariga mais honesta para o lado negro da força, salvo seja. Quem está exposta a ceroulas do demo e comportamentos duvidosos durante muito tempo pode lentamente começar a achar isso normal e a ir por ali abaixo, Credo. Mas há imensas modalidades respeitáveis e até aulas frequentadas só por senhoras (aprender dança do ventre não tem nada de mal e dizem que faz maravilhas para "descobrir a deusa interior"; exibir tais habilidades para uma audiência já não cairá tão bem a pessoas mais tradicionais). Em todo o caso, sair uma vez por outra com amigos de confiança para dançar num local escolhido ou mesmo pular pela casa sozinha enquanto se trata das tarefas ao som de Prince, por exemplo, é bom para "acordar" os movimentos felinos, o bom humor e todo o sex-appeal que possa andar esquecido.


4 - Maquilhagem, cabelo, estilo, direita, volver!



Uma mulher deve ser absolutamente implacável, estilo exterminador, contra o desleixo. O desleixo mata as mulheres por dentro, torna-as desagradáveis por fora e invejosas umas com as outras, destrói casamentos e é a raiz de tantos males que um post bem grande não chegaria para os mencionar todos. É preciso estar - sem stressar por isso - sempre preparada, tão impecável quanto possível. Da roupa interior à maquilhagem, tudo, mesmo o que não se vê, deve contribuir para trazer um sorriso no rosto. Há que sair de casa como se se estivesse prestes a encontrar a sua pior inimiga - ou o homem perfeito. 


5- Caminhar sedutor, ma non troppo



 Bem dizia Oscar de la Renta, "caminhe como se tivesse sempre três homens a 
observá-la". Porém, muitas mulheres fazem isto da maneira errada. A sua ideia de "andar sedutor" é imitar (muitas vezes mal) um anjo da Victoriá Secret ou pior, bambolear-se! Esta é uma tendência tonta a combater custe o que custar, porque parece vulgar e até ridículo...
 Por vezes pode ser complicado, é verdade- as ancas femininas têm um "balanço" natural, e o uso de saltos altos provoca automaticamente esse efeito. Mas por isso mesmo é preciso mantê-lo sob controle. Basta caminhar com elegância e segurança, que o resto está lá. E já se sabe, não é preciso andar sempre de saltos, muito menos de saltos matadores. 


6 - Na dúvida, o mistério cai sempre bem



Todas adorariam ter uma confiança à prova de bala, movimentos suaves e seguros e as respostas perfeitas como nos filmes sempre na ponta da língua. Mas a verdade é que somos humanas e aceitar a vulnerabilidade feminina - um dos maiores atractivos da mulher -  é meio caminho andado para estar sempre à vontade e diminuir a pressão. Corar, não saber o que dizer (o silêncio e um sorriso tímido são mais eficazes do que um discurso atrapalhado) tropeçar nos saltos em terreno acidentado, tudo isso é normal e natural - na realidade, até convida ao cavalheirismo. Ser tão serena quanto possível e lacónica, mas amável, é uma boa receita para começar. A subtileza nunca atrai problemas e deixa sempre os outros intrigados. E para ter uma presença agradável ou aparentar confiança em qualquer situação constrangedora, pensar em coisas boas (o gatinho de estimação, sapatos Gucci, cantar para dentro a canção preferida) ou sexy (o actor preferido, lingerie da Agent Provocateur) é um santo remédio.


7- Sentido de humor



Não é preciso ter o papel de rapariga divertida de serviço - ser um pouco palhacita nem é muito feminino, e o espalhafato é de evitar... 
 Mas rir das pequenas contrariedades, encontrar o lado divertido das coisas, ser expressiva e espontânea ajuda a que o encanto pessoal, os detalhes interessantes da personalidade transpareçam naturalmente. Além disso, ninguém gosta de estar junto a quem parece arrastar uma nuvem negra presa por um cordel...







2 comments:

C.N. Gil said...

Por acaso só discordo contigo num ponto:

-As aulas de dança do varão são espectaculares para uma mulher que queira estar em forma em pouco tempo. São dos exercícios mais espectaculares e que puxam por todo o corpo.

Dito isto, há quem faça aulas de dança do varão porque sabe disto, quer ficar em forma e aguenta a brutalidade do exercício...
...e tb há quem as queira ter para impressionar alguém!

Ora, se a motivação for a segunda, completamente de acordo contigo!

:)

Isilda said...

Desculpa lá,mas a dança do varão também é uma dança reconhecida.A modalidade é olímpica e ninguém precisa de ficar nu nem mudar de profissão e até os homens aderiram.
Tenho vergonha deste país infinitamente preconceituoso!E não venhas dizer que é opinião porque não é!O twerk e o funk é que são exibicionismos.

Textos relacionados:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...