Recomenda-se:

Netscope

Sunday, November 22, 2015

Duas dicas para Rapunzéis (porque hoje é Domingo)


                                              

1- As nossas antepassadas juravam que era importantíssimo escovar o cabelo 100 vezes por dia... e ainda há quem defenda que esse é um bom hábito se se preza o cabelo longo. No entanto, quem faz brushing regularmente, ou todos os dias (seja com uma escova normal + secador ou, para as trapalhonas como moi-même, com escova-modeladora de ar quente)  já o escova muitas vezes, o que torna um pouco difícil contabilizar o número exacto de passagens.

 O que tenho notado, porém, uma vez que o uso bastante comprido, é que convém ter uma boa escova para pôr as mechas em ordem, quer ao longo do dia (em retoques) quer para desembaraçar antes de deitar - haja ou não intenção de o lavar no dia seguinte. A nível de escovas normais, já vos falei nas da Primark com efeito anti frizz, anti electricidade estática, etc. São fantásticas e pelo preço, dá para ter várias em rotação ou desfazer-se delas sem dó logo que começam a falhar.


Escova da Belle Époque, via
 Mas para desembaraçar à noite, nada como uma boa escova de cerdas naturais macias, à moda antiga, tipo escova de bebé: daquelas que parece que massajam em vez de escovarem a sério. É o melhor modo de desfazer nós sem partir um só cabelinho, além de estimular a circulação, etc. Pode sempre desembaraçar-se mais a fundo no fim com um pente de dentes largos ou escova comum, mas usando primeiro a escova macia, é garantido que não há puxões naqueles "nozinhos" ou asperezas que se formam nas pontas, e  que o cabelo não fica massacrado. 

Também é excelente para espalhar o champô seco sem estimular desnecessariamente nem irritar o couro cabeludo. Não tenho uma favorita, mas qualquer modelo de bazar ou loja de cabeleireiro servirá- por mais tangle teezers que me ponham à frente!





2- Já comentei por aqui que às vezes ficamos desiludidas com certos produtos, apenas para ver que mais tarde acabam por resultar noutro contexto. A pele e o cabelo não reagem sempre da mesma maneira às fórmulas, vá-se lá entender. 
 Quando saiu o Óleo Extraordinário (e multi usos) da L´Oréal eu, que sou muito fã dessas texturas, comprei duas embalagens - estava em promoção, pois. No entanto, nunca me agradou, achava-o pesado e pegajoso. E para ali foi ficando, a pensar naqueles dias em que se acabam os outros. Eis que entretanto comecei a usar outra escova de ar quente e passei a recorrer mais vezes à técnica do carrapito para dar forma e volume em vez de castigar tanto as madeixas com o ferro ou mesmo rolos térmicos. E como dava jeito um óleo para as pontas, lembrei-me de conceder mais uma chance ao pegajoso extraordinário. Seja o que Deus quiser, e vai de o usar ora antes de secar o cabelo, deixando absorver bem, ora para retoques entre lavagens ou durante o dia (quando as pontas ficam secas e é preciso hidratá-las antes de passar o modelador ou prendê-lo bem enroladinho, para mais tarde o soltar com bom aspecto).

E não é que desta vez funcionou? O cabelo fica perfumadíssimo, cintilante e, como disseram cá em casa, "estupidamente macio". Já vou no fim da segunda embalagem, para aprender que quando se trata de cosméticos, é bom não jurar a pés juntos.







No comments:

Textos relacionados:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...