Recomenda-se:

Netscope

Thursday, November 5, 2015

Pó bronzeador para peles de porcelana? Why not?




Quem tem uma pele super clara, transparente mesmo e não tem problemas em ser, com honra, um "copinho de leite" poderá enfrentar vários desafios de beleza: primeiro, a protecção solar e hidratação adequada para salvaguardar uma cútis delicada (e provavelmente, reactiva); segundo, encontrar as bases e BB Creams certos (traduzindo: pálidos o suficiente ou pelo menos, que se fundam e de preferência, de tom neutro, nem amarelado nem rosado - ó demanda difícil!) terceiro, ter mão muito leve e olho vivo para escolher e aplicar o blush e os contornos...ou optar por passar sem eles. Depois, nem falemos nos bâtons- certos tons vivos que ficam a matar contra uma tez morena podem parecer berrantes demais (ou paradoxalmente, desmaiar de todo) num rosto de porcelana.

E quem é ruiva e sardenta, encontra ainda mais subtilezas do que as louras (que muitas vezes tendem a ter pele rosada ou dourada) ou as morenas claras (que costumam ser de um adorável e mate tom de magnólia!).

Em termos de cosméticos, o mesmo sucede com esse truquezinho que quase toda a gente adora, que está imenso na moda e que é o salva-vidas de tantas morenas que ficam macilentas no Inverno: o pó bronzeador (bronzer ou bronzing powder).


Confesso que é cosmético que até há pouco tempo, me passava ao lado - afinal, what´s the point? Raramente bronzeio alguma coisa no Verão (com sorte, ganho um lindo tom ambarino depois de muito esforço e muitas sardas) e assim como assim vai-me melhor o look à Belle Époque. 

Depois, maquilhadores profissionais com quem trabalhei sempre insistiram  que bronzer não substitui o blush, porque afinal "ninguém cora em castanho". E é verdade...

Não há então, aparentemente, grande utilidade no produto. Ou haverá?

Se calhar sim. E uma vez que alguns bronzers sem brilho podem ser usados como pó de contorno, havia uns quantos cá em casa (fora umas versões irisadas que me ofereceram, etc) pelo que acabei por ver uns tutoriais que por aí andam, e toca a fazer experiências.




Como saberão deve aplicar -se o bronzer com um pincel fofo, médio, nas zonas onde bate o sol: nas maçãs do rosto (ou ligeiramente abaixo, se quisermos adicionar blush) no queixo e, se não for um pó irisado, um poucochinho na testa, junto à raiz do cabelo.

Pessoalmente, por vezes (se tiver pressa ou preguiça de usar sombra) uma leve passagem sobre as pálpebras realça o olhar; basta acrescentar máscara e eyeliner. Isto é um pequeno truque, não uma regra...

No caso das peles muito pálidas, convém ter dois cuidados: primeiro, não escolher um tom demasiado contrastante (nem castanho muito escuro, nem cor de tijolo terroso) para que se funda naturalmente; os melhores são os translúcidos, ligeiramente dourados, como este da Kiko:




Segundo, manter o bronzer realmente nas zonas estratégicas, pois a ideia não é ficar "morena" e sim dar dimensão e luminosidade ao rosto.

As ruivas, em especial, devem ser cautelosas para que -uma vez que o tom bronzeado do pó é semelhante ao das madeixas - não se perca o belo contraste entre a palidez da pele e o alaranjado do cabelo.

Bem aplicado - a solo ou acompanhado de contorno e blush - o bronzer pode dar aquele toque de sofisticação, de maquilhagem natural mas com bom ar, composto e dispendioso...além de realçar as sardas da melhor maneira.




No comments:

Textos relacionados:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...