Recomenda-se:

Netscope

Thursday, February 25, 2016

The first cut is the deepest



É uma das minhas canções preferidas (como se não bastasse ter sido escrita por Cat Stevens, mais tarde foi cantada por Rod Stewart e sai sempre bem, basta ouvir a versão de Sheryl Crow) e mais do que a letra em si, o título sempre me assombrou um pouco. The first cut is the deepest - uma profunda verdade. 


Nada marca tanto como as primeiras impressões. Por isso sempre me pareceu que esta é uma canção muitíssimo inteligente, pois pode ser lida em dois ou três sentidos distintos.

Um primeiro amor marca, principalmente se ferir. Há aqueles que deixam profundas cicatrizes, que accionam todo um efeito borboleta que pode ser destruidor. E o primeiro amor não é necessariamente o primeiro namoro ou o primeiro envolvimento sério: pode ser aquele que escapou. E se fez um corte, nunca haverá arranhão igual, por mais fundos que sejam os seguintes.

Depois, em qualquer relacionamento, se há um first cut que abala a confiança total que havia entre duas pessoas, dá-se o efeito do espelho: é possível colá-lo, mas a brecha nunca desaparece.

E, terceiro caso a que se aplica a letra: o first cut duplo. Restaurar um amor, reatar laços, escavar raízes profundas nunca é simples; é sempre um processo agridoce.

 Porém, torna-se mais denso quando se trata de restituir a uma primeira paixão, ao que poderia ter sido, a sua pureza original apesar do tempo, do ressentimento, do ciúme, da separação e dos fantasmas. A ideia é romântica, mas o processo há-de ser no mínimo catártico. Há a necessidade da presença do outro para curar as feridas, mas a visão constante da ausência, do corte e da lâmina. Querer alguém sabendo que o primeiro corte é o mais profundo exige mananciais de compreensão, de perdão, de paciência. Requer um amor que mais do que imenso e imorredouro, é magnânimo, altruísta, forte, teimoso - mas acima de tudo, misericordioso.

I still want you by my side
Just to help me dry the tears that I've cried
And I'm sure gonna give you a try
If you want I'll try to love again,
Baby, I'll try to love again, but I know...
The first cut is the deepest
Baby I know
The first cut is the deepest
But when it comes to bein' lucky, he's cursed
But when it comes to lovin' me, he's worst...


No comments:

Textos relacionados:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...