Recomenda-se:

Netscope

Friday, March 18, 2016

Estado de graça, cada uma tem o seu.



Chontel Duncan não é a primeira mulher de esperanças a gerar controvérsia por manter abdominais de ferro apesar do seu "estado interessante". No ano passado, a bela modelo Sarah Stage já tinha lidado com críticas tanto pela sua esplêndida forma durante a gravidez como por recuperar a silhueta logo, logo a seguir a pôr no mundo um bebé amorosíssimo, rechonchudo e perfeitamente saudável. Por cá, também a apresentadora Carolina Patrocínio foi alvo de comentários menos simpáticos pelas mesmíssimas razões.

O fenómeno de existir uma ideia pré concebida de como uma grávida deve ser para que a considerem "verdadeiramente mãe" (redondinha, exausta, com estrias e um pouco desleixada) até já tem nome: bump shaming. Que é apenas mais uma forma de skinny shaming ou beauty shaming (sofrer críticas por ser magra e/ou linda).

Sarah Stage

Porém, Chontel- modelo de fitness e empresária deste ramo na Austrália - decidiu aproveitar o seu protagonismo nas redes sociais para mostrar como cada mulher vive esta fase de modo diferente. Ora por motivos de saúde, de metabolismo, de estilo de vida ou simplesmente, porque nunca se sabe se calha em sorte a cada uma um barrigão ou uma barriguita, não há mulheres "mais mães do que as outras". Umas querem cuidar-se e fazer imenso exercício (até porque já era seu hábito fazê-lo e, salvo por indicação médica expressa, não há motivo para parar) outras preferem o somewhere in between, outras não gostam, não querem ou não conseguem - ponto. E para o demonstrar mais claramente, a ex Miss Universo posou grávida de quatro meses junto a uma amiga sua, uma "grávida comum" com cinco meses de gestação (imagem acima).


Pessoalmente (pondo de parte se acho bem ou mal esta exposição de momentos íntimos nos social media, mesmo tratando-se de modelos de fitness) como já vos disse, acho que não há desculpas - salvo uma gravidez que exija repouso absoluto, e mesmo isso não implicará "comer por dois" e desprezar os cremes hidratantes - para que uma mulher perca o encanto e a feminilidade só porque vai pôr um bebé neste mundo. Quem tem força de vontade para se manter bela - desde que siga as recomendações médicas e não caia em exageros - merece aplauso, não censuras.

                                            
Claro que nem todas têm de parecer modelos, mas os cuidados de beleza devem vir durante e depois da gravidez, porque quanto menores os "estragos" e melhor a forma, mais fácil será recuperar a silhueta. Cresci com esses exemplos na família e daí não me tiro. Não há nada mais encantador do que uma mãe bonita...nem nada mais deprimente do que uma mulher desmazelada a dizer mal das outras quando devia estar a transbordar felicidade, a publicar no Facebook que "a barriga deformada é uma prova de amor" e a deitar ao inocente que ainda mal abre os olhos as culpas do visual danificado.

No entanto, é uma escolha individual num período delicado que envolve muita coisa - nomeadamente hormonas - e ninguém tem de pôr regras quanto àquilo que uma futura mãe deve ser ou não. Nem exigindo que todas tenham recuperações pós parto "impossíveis", nem rosnando que uma grávida deve ser redondinha e vestir como a mãe da Família Coração. Haja paciência.


No comments:

Textos relacionados:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...