Recomenda-se:

Netscope

Tuesday, March 29, 2016

Para as noivas, parte I: como espatifar um vestido decente







Há dias, um comentário que fiz no Facebook do Imperatrix sobre os malfadados vestidos de noiva cai cai teve muita participação. Por isso, e porque estamos na Primavera e há sempre noivas que ainda não escolheram o seu (para não falar nas convidadas em busca de toilette) pensei numa mini série de posts sobre o assunto: onde - e COMO - conseguir um vestido apropriado, elegante, etéreo, romântico e favorecedor, que dê um ar angelical (sem deixar de ser feminino e apelativo) e de preferência, sem cai cais nem decotes de cabaret ridículos? E com mangas, há? Isto para vários orçamentos. Never fear, é para discutir esses e outros problemas femininos que cá estamos.

Estava a meditar nisso, quando apanhei um programa da TLC (what else?) em que se falava numa das melhores opções para conseguir um vestido desse género sem gastar os olhos da cara: recuperar e adaptar o vestido da mãe (ou da sogra, avó, tia, madrinha, whatever). É uma alternativa romântica, de classe e com pequenas alterações, consegue-se um resultado lindo (até porque os tecidos de outros tempos eram, muitas vezes, de qualidade superior, além de escaparem às inevitáveis organzas, tafetás, sintéticos e brilhinhos que encarecem o vestido e, quando mal aplicados, acrescentam demasiado volume).

Era uma vez um vestido persa vintage com potencial....


A noiva, que era persa e queria um casamento opulento à moda da sua terra e "não ser ofuscada pelas convidadas", pensou em aproveitar o vestido da mamã; logo, pediu à parentela que lho enviasse de avião para os E.U.A. Era um modelo recatado e bonitinho dos anos 70, com muita renda...e mangas! Para ficar perfeito precisava apenas de uns retoques aqui e acolá, do véu correcto e estava feito. E eu pensei logo: olha, milagre. Mas algo me diz que  as mangas não vão sobreviver à doideira, noiva persa ou não noiva persa

A modista de serviço - vestida de serigaita, como não podia deixar de ser - falou (nisso concordei com ela) em descer a cintura e alterar o decote. Certo. Depois, em dar mais va-va-voom à saia aproveitando a renda original. Ok, isso depende do gosto e da silhueta de quem o usará. Mas - ignorando o pedido dos pais para "não fazer nada sem alças"- pelo esboço que fez estava-se mesmo a ver que mais valia pegar no vestido e fugir logo dali. Porém, não: a bridezilla de uma figa ficou no mesmo sítio a assistir àquela tragédia!


Depois- oh desgraça - eis que corta, corta, corta, cose, torce, retorce...e o raio da mulher apresenta uma treta de um balandrau, bonitinho mas igual a milhares de vestidos cai cai daqueles todos iguais mas que cada noiva jura que são diferentes. Basicamente, um corpetezito com um cintozito de pedras e uma saia de suspiro para baixo. Lá se vai o vestido único e original, lá se foi a modéstia sumptuosa de uma noiva oriental, olá imitação manhosa - mas caríssima- de vestido de baile de debutantes. Não é que ficasse feio ou lhe assentasse mal, até porque a menina tinha figura para o suportar: mas ficou igual a milhares de tantos outros e super descapotável. WHY????

...que se transformou nisto.


De tal maneira que a noiva - apesar de jurar a pés juntos que adorou, e de o pai babado ter de pagar as modificações a peso de ouro na mesma - acabou por comprar outro vestido. Engraçadinho, mas nada com o impacto que ela tinha pedido a início. E assim se estragou um vestido de família para rigorosamente nada. E lá pagou caríssimo outra opção, acabando por ir assim, sem mangas e sem grande graça:


Como vêem, não se trata de falta de vestidos, como algumas seguidoras aqui do Imperatrix apontaram: é mesmo uma questão de visão estreita, de seguir cegamente os conselhos de profissionais amalucados e do hábito terrível de querer por força que uma noiva pareça sexy, mesmo quando o seu pedigree pede outra coisa. Ou por muito pouco apropriado que isso seja.

De vestidos como manda o figurino, trataremos então mais adiante.






2 comments:

A Bomboca Mais Gostosa said...

O vestido original era tão bonito... Que crime!

Géraldine said...

Gostei muitíssimo do vestido original. Com algumas pequenas modificações ficaria lindo!

Textos relacionados:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...