Recomenda-se:

Netscope

Monday, March 14, 2016

Susan Sarandon: belíssima aos 70 anos.


A revista Activa deste mês trouxe uma interessante entrevista com uma das minhas actrizes preferidas. Não sei se pela escolha de papéis, se por me identificar com o seu fototipo ou com o seu pedigree celta-siciliano, sempre achei Susan Sarandon inspiradora. Mas como sou despistada nestes detalhes e a idade de uma senhora não se pergunta, fiquei surpreendida ao saber que a beldade ruiva - que mais coisa menos coisa, parece sempre na mesma- fez 70 anos.

 70, meninas e senhoras! Não que ter 70 anos hoje em dia seja nada do outro mundo. É só o que vem depois dos 60 que são os novos 50 e sempre acreditei que uma pessoa mantendo-se sensivelmente igual a si própria até certa idade, depois disso já não modifica muito mais. Principalmente se tiver sido bela em nova, já que a verdadeira beleza depende mais dos traços correctos do que da frescura da primeira juventude. Basta olhar para outras belezas como Julianne Moore, Cate Blanchett, Monica Bellucci ou Sophia Loren para perceber isso.

Até aos vinte e poucos anos, qualquer rapariga minimamente esbelta que se atavie é engraçadinha, mas a ilusão desfaz-se rápido. Há uma tendência para sobrevalorizar a juventude confundindo-a com beleza, quando na verdade a juventude é um photoshop temporário.



Não obstante, ter 70 e aquela figura impecável e um rosto lindo que aparenta menos duas ou três décadas (em boa verdade, nem saberia que idade lhe dar) continua a ser obra, até porque (como o artigo aponta e muito bem) apesar do seu tipo de pele delicado (quem tem pele clara e sardas sabe que não pode haver descuidos) a actriz parece ter retocado muito pouco a cara, se é que intervencionou o que quer que fosse...

Em todo o caso, a receita de Susan Sarandon não é tão diferente da fórmula apontada por todas as famosas bonitas que se conservam bem: focar-se na família, ter alguns cuidados de cosmética/exercício/alimentação sem exageros, manter-se apaixonada por projectos, hobbies e causas...viver, em vez de existir. Se ela o diz eu acredito, até porque é remédio acessível e bom de aplicar.

Textos relacionados:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...