Recomenda-se:

Netscope

Thursday, April 21, 2016

Prince e Vanity: amor além túmulo?


Depois de nos levar David Bowie, 2016 prega-nos a partida de ficarmos sem Prince. Nunca fui uma fã acérrima, mas gostava da sua música e não consigo ficar parada ao ouvir Kiss ou Get Off.

Mas curioso é que em Fevereiro estive para dedicar um post à morte da bela Vanity, ex namorada/protegida do cantor. Por algum motivo, não cheguei a fazê-lo. Em boa verdade, só conhecia Vanity por me lembrar de há muitos  anos ter lido algo sobre a sua tumultuosa história de amor com Prince numa revista.

Prince ter-se-á encantado com a modelo aspirante a artista por a considerar o reflexo feminino dele próprio. Por isso chamou-lhe "Vaidade" e tornou-a na líder de uma girlsband que faria corar as Pussycat Dolls. O efeito da fama em Vanity foi devastador: mais tarde, convertida ao Cristianismo, arrependida dos seus erros (recusou mesmo receber quaisquer royalties vindos dessa fase conturbada) e com a saúde arruinada pelas drogas, ela confessaria que a vaidade - ou o seu alter ego- quase a tinha destruído. Morreu aos 57 anos, de falha renal causada pelos excessos da sua vida passada. Ainda assim, teve mais vinte anos de vida além do que os médicos tinham previsto...



Menos de três meses depois, Prince - precisamente com a mesma idade - foi juntar-se-lhe. É uma estranha coincidência, quanto mais não seja porque ambos haviam seguido com as suas vidas; os dois estavam casados com outras pessoas e é de supor que a paixão de outros tempos estaria sepultada - ou bem adormecida - no passado. Mas às vezes não é bem assim. Já o disse, há amores que não matam mas também não morrem. O tempo e a distância não lhes secam as raízes. Talvez Prince e Vanity fossem de facto almas gémeas, mas num sentido obscuro: demasiado semelhantes para fazerem bem uma à outra. 

No comments:

Textos relacionados:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...