Recomenda-se:

Netscope

Friday, July 21, 2017

Todas as mulheres precisam de dez anõezinhos!




Quando eu era pequenina, adorava ouvir a avó contar a história dos Dez Anõezinhos da Tia Verde- Água. Quem não conhece pode ler aqui na íntegra, mas vou recordar:

Há muito, muito tempo,  uma rapariga vivia infelicíssima com o marido, que a acusava de desarranjada. Em boa verdade, o pobre homem tinha razão... chegava a casa exausto da labuta diária e a esposa, que não trabalhava fora , tinha tudo numa confusão: jantar por fazer, cama desfeita, nada de água quente para o banho (pois nesse tempo não havia água canalizada) a roupa numa desordem, enfim, uma coisa deprimente.



A moça bem se esforçava, trabalhava o dia todo para cima e para baixo, mas nunca conseguia ter nada pronto. E  claro, todas as noites havia zaragata. Farta daquilo, a mulher foi consultar-se com a Tia Verde- Água, uma vizinha com fama de ter poderes mágicos. E a boa velhota disse-lhe que não se inquietasse pois tinha dez anõezinhos muito arranjadores que lhe iam resolver o problema.
Para que a "magia" funcionasse, era preciso arejar o quarto e fazer a cama logo que se levantassem, depois pôr a água ao lume, varrer e limpar, em seguida tratar da roupa e ir começando o jantar...fizesse ela isso, e os anõezinhos haviam de a ajudar sem ela dar por isso. E de facto, passou a correr tudo às mil maravilhas...


Long story short, os dez anõezinhos eram os dedos da rapariga e a Tia Verde água só lhe ensinara a fazer o que hoje se denomina uma boa gestão do tempo e das tarefas - ou, como se dizia naquela época, a "fazer luzir o trabalho" (adoro o termo, já agora).


Pois bem, sempre achei este conto muito instrutivo -  e sugestão ou não, invocar os meus dez anõezinhos ajudou-me muitas vezes não só em casa, mas nos empregos que tive. Sempre que havia muitas tarefas a acumular-se e eu não sabia por onde começar, pensava cá comigo "vou chamar os meus dez anõezinhos!", começava pelo princípio e levava a eito. Quando dava por mim, estava tudo prontinho e organizado.


E cada vez mais preciso dos meus dez anõezinhos arranjadores, que muito me têm valido! Porque ao contrário da vizinha da tia Verde água, tenho uma carreira além da de dona de casa. Certo, há água canalizada e água quente, graças aos céus, e máquinas de lavar e secar; mas as tarefas do lar, por mais que sejam divididas pelo casal, são só a ponta do icebergue... depois, embora nem fique caro contratar ajuda por estes lados, difícil é encontrar uma senhora de toda a confiança. De modo que numa destas manhãs dei por mim com mais trabalhinhos do que anõezinhos.


Imaginem, antes de sair para trabalhar era preciso contactar clientes, mandar uns emails, arrumar o quarto (incluindo dar uma reorganizadela aos armários) tratar da roupa, dobrar a que estava pronta, deixar a cozinha imaculada, passar o aspirador pelo chão, pôr lá fora as caixas da reciclagem, destinar o jantar, actualizar o blog, fazer pilates e dar um tratamento ao cabelo (isto fora lavar e secar, mais maquilhagem, arranjar a minha toilette e por aí)...eu sei lá, um ror de coisas.  Que fiz eu? Chamei os anõezinhos encantados para me ajudarem a completar a lista, como sempre.



 E eles não falharam. Nunca falham.

Fico a pensar que todas as mulheres ocupadas - principalmente as que já têm filhos, que essas nem imagino os super poderes que lhes assistem- deviam conhecer este conto de fadas e aplicá-lo no seu dia a dia. É uma técnica simples, mas resulta. Se calhar é mesmo magia e não só boa gestão...

1 comment:

Susana said...

Coleção Formiguinha... Que saudades

Textos relacionados:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...