Recomenda-se:

Netscope

Friday, September 14, 2018

Remi Gaillard dixit: os animais, essas bestinhas.




Nunca vos contei esta mas sou uma grande fã de Remi Gaillard, o pregador-de-partidas profissional francês com cara de miudito endiabrado.

 A  foliona que vive dentro de mim diverte-se até às lágrimas com os seus apanhados fantasiosos que envolvem super heróis, personagens de videogames e bicharada (talvez porque me lembram as estórias que eu e os meus primos inventávamos sobre as maluqueiras que gostaríamos de fazer, se nos deixassem e se as personagens dos desenhos animados existissem na vida real).

  Só não gosto muito quando ele provoca a polícia em modo chapliniano (quer dizer- acho imensa graça, especialmente quando o agarram,  mas o exemplo é péssimo). Ressalvando o devido respeito pela autoridade e pelas normas de boa sociedade, aqui me confesso: adorava participar numa das suas partidas nonsense só para ver a cara das pessoas.



Entre as minhas rábulas preferidas do vasto repertório deste enfant terrible estão aquelas em que se mascara deste ou daquele bicho para arreliar os incautos que têm a pouca sorte de lhe saltar ao caminho: a do canguru ficou famosa (o rapaz deve ser persona non grata nas imediações de qualquer country club) mas as do morcego, da aranha e da borboleta toda fofinha a ser imobilizada e catada pela bófia deixaram-me com dores de barriga de tanto rir.



O que eu não sabia é que o comediante é realmente um protector incansável dos animais, tendo até criado algumas brincadeiras benévolas para angariar fundos para o canil/veterinário público que o costuma ajudar nas suas versões malvadas das fábulas de La Fontaine (alegoria feita por ele mesmo).

E numa entrevista, explicando o porquê de se fantasiar de vários bichos, Gaillard revelou que  se inspira nos animais porque, tal como ele próprio, eles são uns rebeldes sem filtro:

"Os animais têm uma pureza que falta às pessoas (...)são uns brutos.  É  por isso que lhes chamam "bestas". Estão-se nas tintas para tudo, fazem o que lhes apetece, servem-se como se estivessem na casa deles e mariambam-se para o sistema. Não têm educação nenhuma. São uns mânfios. Os animais são uns gandins".
Ou como diria a minha avozinha, são uns valentes ursos



E bem vistas as coisas, é verdade...quem tem bichos de estimação que o diga! Aqui onde me encontro, cheia de saudades dos meus gatos e do meu cão, já pude comprovar que a teoria se aplica tanto a animalejos domésticos como selvagens.

 Os papagaios silvestres (sim, há muito disso em Londres, um dia mostro imagens do meu jardim se não estão familiarizados com o fenómeno) os esquilos e as raposas que a minha cara metade faz questão de tentar domesticar (um esquilo já vem comer à nossa mão e tudo, imaginem) já me fizeram das suas: uma adorável ninhada de raposinhos fez questão de me entrar pela estufa dentro para me espatifar as galochas preferidas, que eu tinha deixado a secar, e espalhou-me por todo o lado o saco de roupa que estava separado para levar para o contentor, no melhor modo "mas quê? isto não estava aqui para a gente brincar?".


E o pior é que não dá para uma pessoa se zangar com eles. Vai lá uma pessoa discutir com seres irracionais (ou vá, com a mentalidade de uma criancinha) e absolutamente fofos? Aliás, aqui há tempos publiquei um texto em que dizia como ver/ler peripécias de bicharada é das melhores maneiras de dispersar instantaneamente a ansiedade, e entretanto soube de mais algumas que juntei ao repertório de "ursices de bichos que me fazem rir por mais que eu esteja pior que um urso".





1 - Como este urso que invadiu o jacuzzi destas pobres pessoas, esteve, chapinhou, refastelou-se, fez o que quis, enfrascou-se em margaritas e acabou por se deitar a dormir, perdido de bêbedo:



2- Ou este Pequinois insuportavelmente queridinho e felpudo que é um bully de primeira  categoria e faz a vida negra aos outros (eu...não...aguento...tanta...fofinheza junta!):



3- A história deste esquilinho bebé que perseguiu um homem durante imenso tempo até que o cidadão, em pânico (que diabo? porquê?) chamou a polícia. Eventualmente o bicharoco cansou-se de ser stalker e adormeceu num canto, sendo recolhido pela esquadra que o adoptou como sua mascote.



4- Esta família de ursos que se fez de convidada numa piscina desmontável em New Jersey (o que atesta a resistência e durabilidade das piscinas temporárias para quem não pensa investir numa definitiva...muito aguentou a geringonça!).



E de resto, qualquer gif de galináceos a perseguir pessoas ou vice-versa. A minha familia diz que sou um diabrete por me rir disto, mas não consigo evitar:





Como se diz por estas bandas, "Savage!".

No comments:

Textos relacionados:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...