Recomenda-se:

Netscope

Tuesday, September 25, 2018

Coisas/marcas a comprar em Londres #1: super acessível (mas disfarça bem)




Com Londres a duas horas de avião e tantos dos amigos do Imperatrix a viajar regularmente para cá, pensei em criar uma rubricazinha catita para vos ir dando conta, conforme me for lembrando,  de compras que vale a pena fazer por aqui (leia-se marcas, produtos, ou locais onde se encontram bons negócios).

Isto porque passear por Oxford Street parece tudo muito lindo mas só lá me apanham em trabalho... haja paciência!

Pois bem:  para começar vou falar-vos de uma marca baratinha, mas janota a valer, ideal não só para aqueles momentos "vou a Londres num pulo e não sei o que hei-de comprar para a mãe/tia/amiga, só que parece mal vir à capital das compras e voltar de mãos vazias com a desculpa da confusão e da pressa" mas também para ensacar uns básicos impecáveis e umas peças transitórias sem investir demasiado.



   Eu ainda sou do tempo em que o pai vir ao UK em trabalho significava trazer-me alguma coisa da Top Shop, da Dorothy Perkins ou do Selfridges. Porém, a Top Shop já está em Portugal e assim como assim, já não é o que era - actualmente, com tanta colaboração especial com designers os preços subiram, o posiocionamento alterou-se e os modelos tornaram-se mais arrojados- o que é bom quando se quer levar uma peça marcante para casa mas pode não dar jeito quando há pouco tempo para escolher.
 Ir ao Selfridges nem sempre é opção, além de ser obviamente uma loja mais voltada para investimentos maiores e não tanto para "trazer uma coisinha para cada pessoa e mais umas pecitas para mim" (a não ser que se tenha um orçamento muito simpático, claro).


Vestido azul marinho Dorothy Perkins

Quanto à Dorothy Perkins, de que já falei várias vezes por aqui a propósito dos vestidos, continua a estar entre as minhas favoritas (ainda há poucos meses lá comprei um sheath dress preto que mais parece Dolce & Gabbana e assenta como uma luva por menos de 30 libras) mas francamente, o stock é mil vezes melhor online. Vale a pena comprar no site uns dias antes de viajar e pedir para ser entregue na loja DP mais próxima, já que há quase uma em cada esquina.

A marca de que vos quero falar segue um sistema semelhante no que respeita a compras online e também tem a vantagem de pipocar em quase tudo o que é bairro, pelo que é possível ficar alojada em qualquer subúrbio amoroso e comprar coisas giras sem ir de propósito, em missão, ao centro da cidade a tropeçar em turistas que não saem da frente e shopaholics frenéticos de todos os cantos do globo (com todo o respeito por eles já que muitos são meus clientes, mas não são exactamente a companhia deal para quem se quer despachar).

Calças paperbag, New Look


Provavelmente já repararam que a New Look está um pouco por toda a parte em Londres e arredores, e por boas razões: com preços e qualidade algures entre a Primark e a Zara, é a marca ideal para ir buscar não só uns básicos fiáveis, que assentam bem (já lá vamos) mas também se mantém extremamente actualizada quanto às tendências.

Acho que os buyers e os designers deles devem ser uns taradinhos canta-monos do Instagram, sempre à coca do que está na berra. Basta ver que a New Look faz sucesso também na Ásia, paraíso por excelência de tudo o que é trendy, e que é activa em redes sociais como o Weibo ou o Wechat, essenciais para quem quer fazer negócios da China (mas um ponto onde muitas marcas que tentam entrar nesse mercado falham redondamente).



E o melhor é que a selecção de peças é bastante transversal: nem adolescente como a Forever21 ou serigaita como outras de que não vou falar agora, nem matrona (um problema que se vê muito em algumas marcas britânicas mais famosas) o que é um feito tendo em conta que a New Look nasceu em 1969. Conta também com uma boa escolha de tamanhos. Sem ter lojas muito grandes e confusas (há algumas aqui em que não tenho mesmo pachorra para entrar) há algo para toda a gente, de miúdos do liceu a peças para o escritório ou ocasiões especiais, passando por moda para mamãs e plus size.

Confesso que ao início torci o nariz (porque como imaginam encontrar lá tecidos aceitáveis exige algum cuidado) mas o styling das montras acabou por vencer a minha curiosidade. 



Depois, há uma New Look  mesmo ao pé de minha casa e eu passava por lá todos os dias no regresso. E terceiro, a minha busca incessante por calças de cintura alta que assentassem em condições e fossem confortáveis, tanto para trabalhar como para o dia a dia (com um emprego a tempo inteiro e a cuidar da casa acabo por usar imenso a máquina de secar mas as peças de griffe não gostam muito disso, pelo que tive de arranjar alternativas) lá me fez agarrar nuns quantos pares de calças "paperbag" e cigarrette e marchar para os provadores.

E bem, fiquei agradavelmente surpreendida! Havendo sorte e paciência para apanhar tecidos consistentes e agradáveis ao toque, vale a pena arriscar porque (à semelhança de outras marcas low cost, Primark incluída) a modelagem e o corte compensam pelo material menos nobre. Cairam-me tão bem, tinham tão bom ar e eram tão macias que segui o meu instinto e comprei uns quantos pares. Pois digo-vos que com os devidos cuidados têm durado bastante, mesmo tendo-as elevado ao estatuto de "kidas calcinhas que dão com tudo" e andando com elas non stop para cima e para baixo. Com o styling adequado e atirando-lhes com uns sapatinhos de designer e uma carteira decente, ninguém dá pela "barateza".



 Tal como a maior parte das marcas, a New Look repete moldes e é fiel aos tamanhos (mudando só as cores, os materiais e alguns detalhes) por isso é boa ideia dar lá um pulinho para experimentar calças de tempos a tempos. Recomendo também as blusinhas vaporosas estilo vitoriano, as blusas de cambraia tipo camponesa, as peças básicas em algodão, os sundresses e jumpsuits, sapatos de tecido e quaisquer peças ou padrões sasonais. É tudo amoroso à vista e veste como parece, sem caídas esquisitas. Obviamente coisas mais elaboradas, como botas ou sobretudos, são quase sempre de evitar em lojas assim, mas para estas pequenas compras aprovo e recomendo!



Outra casa com um posicionamento parecido, que também vende online, costuma ter pontos de venda próximos da New Look e onde já encontrei coisas interessantes, baratíssimas e com um corte favorecedor (nomeadamente blusas de decote Bardot 100% algodão com manga rendada a 3/4 e calças skinny de cintura muito alta e tecido espesso que assentam de forma semelhante às Versace) é a Select.


Select

 No seu todo, a loja é menos de fiar do que a New Look e pode ter um ar serigaito como tudo em algumas alturas, mas não se deixem intimidar por isso e dêem uma olhadela com olhos de ver. Não esqueçamos que além de acompanharem todas as novidades estas marcas recrutam alguns designers e costureiros talentosos em início de carreira, portanto não é raro haver boas surpresas. É preciso peneirar e seleccionar bem para não comprar só porque é barato, mas usando de moderação fazem-se boas compras sem pesar na bagagem nem na bolsa.


Por fim, é difícil falar de Londres sem mencionar as omnipresentes drogarias e farmácias, que são autênticos paraísos para cosméticos e onde se encontram alguns produtos menos populares em Portugal (como por exemplo, champôs secos e texturizadores para todos os gostos).





A essas quero voltar em detalhe noutro post -  mas quanto mais não seja, ao regressar a Portugal é boa ideia passar um bocado a explorar a Boots (espécie de farmácia multiusos que até vende sanduiches) em Heathrow ou Gatwick antes de embarcar. O meu achado mais recente foi este desmaquilhante de olhos cremoso, de marca branca, que limpa tudo, até máscara de fibras para pestanas (quero falar da máscara de fibras em breve, mas aviso já  que parece cimento e custa à brava a tirar) sem ai nem ui. Uma maravilha! Por isso não desesperem: mesmo que tenham deixado tudo para a última da hora, ainda dá para levar alguma coisinha útil à prima, mana, etc, etc.











Textos relacionados:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...