Recomenda-se:

Netscope

Friday, September 28, 2012

Less is more, sempre

Ontem vi passar uma senhora que é um bom (mau) exemplo de um estilo que já mencionei, e que se vê bastante num certo círculo cá nas minhas bandas. Não que não tenhamos mulheres de uma elegância refinada e clássica, ou com um estilo giro e normal - que temos - mas a par com elas, há muitas "aves do paraíso". Senhoras muito bem, quase todas, com mais de 40 anos, a obedecer ao estereótipo da super tiazoca.  

Gostam de roupas "boas" - geralmente compradas em boutiques multi-marcas desconhecidas (mas quase tão caras como as griffes melhores) a que eventualmente misturam qualquer coisa Dolce&Gabbanna, mais uma coisita Versace, com uma pitada de Ana Sousa e um tiquinho de Miss Sixty ou coisa que o valha. 
Junte-se a isto um louro queimado ou um preto retinto, quilos de maquilhagem e pele um pouco estragada pelo sol.
Até aí enfim, se não tivessem parado nos anos 80/90. Ou seja, confundem tudo: gostam de peças chamativas, com berloques e logótipos, e se possível, todas ao mesmo tempo. Veludos, cetins, aplicações, calçado ou casacos de verniz, nada é demais para usar em pleno dia e o resultado raramente é lisonjeiro. A consequência é um look datado, com imensa poluição visual. O exemplar de ontem trazia nem mais nem menos do que umas skinny jeans escuras - muito giras, nada a apontar - com um blusão curto (elas adoram blusões curtos) preto, de tachas, com letras; peep toes altíssimos, de veludo, acompanhados de meias de rede estilo anos 50; por fim, uma carteira com estampados coloridos, quase barrocos, a destoar totalmente do resto...para além de outros enfeites que só serviam para confundir.
Materiais ou formatos impactantes devem ser doseados e coordenados com elementos simples para que a peça - ou peças - "statement" falem por si. Não convém levar à rua todas as "peças tendência" ou preferidas ao mesmo tempo.

 Estas senhoras são um exemplo, mas vejo gente de todos os estilos a cometer essa gaffe: looks muito elaborados, cheios de elementos e acessórios, podem ficar bem a certas pessoas, e para a fotografia. Mas são difíceis de suportar com graça ao longo de um dia movimentado. Exigem um corpo elegante, uma boa postura - para que nada fique amarrotado ou fora do lugar. Nada de roupa menos que impecavelmente passada,  nada de olheiras nem poros, cabelo limpíssimo, com aspecto "dispendioso" - e muitas destas senhoras só lavam o cabelo no salão, pelo que ao segundo dia a coisa já não está tão bonita. Ao escolher peças com impacto - uma ou duas, no máximo -  convém orientar o visual à volta delas, para as deixar brilhar, e manter o resto simples, clean e despretensioso
É sempre bom lembrar também que veludos, cetins, devorés, brocados, lantejoulas e aplicações, são originalmente materiais para usar para depois do por-do-sol, e não muito cómodas. Hoje há formas de as vestir durante o dia sem cair no ridículo, mas convém ter em mente que menos é mais.
 Há dias, passeando no mesmo local, vi outra senhora que levava umas calças de cetim castanhas. Juntou-lhes uma camisa simples, um pullover rosa-chá, uma carteira bonita, brincos discretos e cabelo bem arranjado. Não me lembraria de usar aquelas calças em plena luz do dia, mas ela estava um amor e com imensa classe. Decerto, tinha um ar muito mais "caro" do que as suas amigas árvore de Natal. Por muito extravagante que seja o estilo de cada um (e um estilo excêntrico é, ainda assim, melhor que nenhum) demasiada informação compromete irremediavelmente a beleza ou expressão de um look...

2 comments:

R said...

Gostei do post! Conseguiste descrever na perfeição esse estilo demasiado comum entre as "tias". Por vezes até conseguem ter peças bem giras, mas essas são quase sempre mal conjugadas e é uma pena. :/

Imperatriz Sissi said...

Obrigada :D
É verdade, por vezes apetece-me dizer-lhes " porque é que a senhora está a fazer tanto mal a uma peça tão bonita?" e fazer-lhes um makeover...

Textos relacionados:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...