Recomenda-se:

Netscope

Thursday, November 29, 2012

O ciclo das relações em quatro canções

                                
Eu tenho a mania de me apaixonar pelas canções consoante a letra. Uma melodia invulgar capta-me logo a atenção, arranjos extraordinários cativam-me e dão-me vontade de ouvir mais, mas são as letras (pela história que contam, por versos marcantes ou pela situação que retratam) que decidem se um tema fará ou não parte da banda sonora da minha vida. Algumas até podem ser de artistas que não me dizem muito, de um qualquer one hit wonder da vida ou de um género que foge aos meus preferidos, mas se me tocam ou traduzem ideias que gostaria de expressar, cá ficam. E no que respeita aos amores, tema estafado ad nauseam por poetas e cantores mais ou menos bafejados por Apolo, a música é particularmente eloquente. Poder-se-ia contar uma história de amor (princípio, meio e fim, seja o final feliz ou não) com uma mão-cheia de cantigas - e nem precisamos de ir aos clássicos, o pop é óptimo para isso.

1 - See it in a boys eyes, Jamelia: flirt que não ata nem desata
Esta canção sempre me encantou, talvez por ter tido a mão de Chris Martin (Coldplay) que emprestou uma profundidade inesperada a um simples tema comercial. Há poucas situações tão angustiantes como duas pessoas que gostam realmente uma da outra, mas não avançam por uma série de complicações. Quando uma rapariga se encontra numa situação assim, de jogos e enigmas, só pode tentar ser razoável e procurar pensar como um homem. (Gosto muito de canções em que o narrador tenta colocar-se no lugar da pessoa amada, como verão). O videoclip é genial e tanto ele como a canção inspiraram Beyoncé Knowles a escrever um dos seus temas mais interessantes, If I were a Boy...que retrata um tema parecido: põe-te no meu lugar e saberás como me sinto.


Comrade I don't feel the same
With my foot to the floor

Hear my key turn in the door
Holding back what's in store
When a girl wants a little bit more



What's a girl like me to do
When she don't get a thing from you
I wanna go where you're going to
Have to do what you have to do
What's a girl supposed to try
When all you do is criticise
Pretty soon you'll realise

I can see it, I can see it in a boy's eyes


2 - Bad Romance, Lady Gaga: tudo ou nada
Goste-se ou não da nova Rainha/Princesa (whatever) da pop, é inegável que as algumas das suas canções têm mais que se lhe diga do que parece à primeira vista. Bad Romance é uma delas. Uma história de amor pode ser imperfeita, ter todos os defeitos e inconvenientes à face da terra, mas quem está de facto apaixonado prefere um romance de cordel, um amor-ódio, à indiferença de uma amizade morna. Só a ausência de paixão permite uma amizade verdadeira entre duas pessoas que estiveram emocionalmente ligadas. Sustentar o contrário é hipocrisia, e Bad Romance traduz isso muito bem:

I want your love


I want your drama, the touch of your hand
I want your leather studded kiss in the sand
I want your love
Love, love, love, I want your love
You know that I want youAnd you know that I need youI want it bad, bad romance

I want your love, and I want your revengeYou and me could write a bad romanceI want your love, and all your love is revengeYou and me could write a bad romance
I want your love, and I want your revengeI want your love, I don't wanna be friends
Oh, caught in a bad romance


3 - Running up that Hill, Kate Bush: desaparecer no outroOutra canção do ciclo "põe-te no meu lugar" esta com uma tónica um pouco mais tangível, que aborda tanto o lado físico como o emocional . Num relacionamento avassalador, há a vontade de compreender profundamente as emoções e sentimentos do outro. Quanto mais se tem, mais se quer - as coisas tomaram forma, mas é preciso moldá-las. Quando os sentimentos estão à flor da pele, qualquer falha de compreensão pode ser fatal, ditar a comunhão absoluta ou uma tempestade de consequências imprevisíveis. Não é a minha canção preferida de Kate Bush (prefiro os seus trabalhos anteriores, que se afastavam mais do mainstream) mas o poema é belíssimo: 

It doesn't hurt me. 
Do you want to feel how it feels? 
Do you want to know, know that it doesn't hurt me? 
Do you want to hear about the deal that I'm making? 
You, It's you and me. 

And if I only could, 
I'd make a deal with God, 
And I'd get him to swap our places, 
Say, If I only could, oh... 

You don't want to hurt me, 
But see how deep the bullet lies. 
Unaware, I'm tearing you asunder. 
Ooh, There is thunder in our hearts. 

Is there so much hate for the ones who love?
Tell me we both matter don't we?


3 - Sick and Tired, Anastacia: o desgaste
Anastacia não é o meu tipo de cantora: como a maioria das intérpretes com excelentes vozes, por vezes cede à tentação de canções comerciais muito semelhantes entre si, que têm mais acrobacia vocal do que significado. Mas Sick and Tired foi, para mim, uma das melhores canções da década passada. Não só a trilha musical está muito bem pensada como se nota o fôlego, a emoção real por trás da sua composição. Nenhum relacionamento (na vida real, pelo menos) sobrevive só com base no "amor" inicial que une duas pessoas. Mesmo que um dos envolvidos seja mais forte, mais sereno ou mais persistente, quando há um desequilíbrio (um dá mais do que o outro) padrões de comportamento destrutivo que se repetem, egoísmo ou incapacidade para ouvir os sinais de alarme e corrigir o que está errado, o desgaste acaba por levar a melhor - sem combustível, até o maior incêndio se transforma em cinzas; desgostos e desilusões sucessivos acabam por se sobrepor a qualquer afecto ou emoção forte. Não há paciência que sempre dure, ou como se diz na terra da minha avozinha " a `escândala´ aparta amor". E quando se tenta reparar o estrago, às vezes é tarde.

'Dil La Liya Be-parvah dey naal'  
('I gave my heart to someone who does not care')
My love is on the line 

My love is on the line 
My love is on the line 
My love is on the line 

A little late for all the things you didn't say 
I'm not sad for you 
But I'm sad for all the time I had to waste 
'Cause I learned the truth 

Your heart is in a place I no longer want to be 
I knew there'd come a day 
I'd set you free 
'Cause I'm sick and tired 
Of always being sick and tired 

Your love isn't fair 
You live in a world where you didn't listen 
And you didn't care 
So I'm floating 
Floating on air 





No comments:

Textos relacionados:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...