Recomenda-se:

Netscope

Friday, November 2, 2012

Pergunta para eles



Sempre ouvi dizer que as mulheres são mais sensíveis e fazem maiores esforços para conservar um relacionamento, mesmo à custa da sua própria felicidade. Muitas mantêm a velha programação genética para a estabilidade, para defender a todo o custo o que percepcionam como "lar" ou território . Os homens, por outro lado, têm uma maior tendência para o risco, para a aventura e logo, mais facilidade em estabelecer ligações fugazes ou superficiais. Porém, quando finalmente encontram um relacionamento com significado, quando se apaixonam realmente, são muito mais emocionais, vulneráveis e territoriais do que as mulheres. Quando se envolvem emocionalmente pela primeira vez, pior ainda. Têm uma maior capacidade de entrega sem reservas, mas também carecem de firmeza e deixam-se facilmente assaltar pela dúvida ou pela insegurança. Uma vez quebrada a confiança, ferido o seu orgulho, dificilmente perdoam ou recuperam a serenidade: perante uma desilusão, o sofrimento masculino é muito mais violento. Talvez porque ao contrário das mulheres não esperam vir a ser desiludidos, e ficam muito surpreendidos quando isso acontece; talvez porque não têm a capacidade de racionalizar ou relativizar que algumas mulheres possuem quando o assunto é ciúmes, seja o motivo dos zelos verdadeiro ou falso, justo ou não. Então contem-me lá se isto é mito ou facto. Quão ciumentos e desconfiados são realmente os cavalheiros de hoje em dia? E como reagem perante uma suspeita?

15 comments:

A Flor said...

Quer-me parecer que numa altura em que as relações são tão descartáveis, a amostra de compromissos sérios entre duas pessoas é tão escassa que é impossível tirar conclusões. Que coisa tão triste para se dizer...

Jedi Master Atomic said...

Não te posso elucidar, sorry. Não conheço ninguém nesses extremos.

musasrabiscadas said...

Gostei do texto e algumas frase pareciam plágio do meu ser. Não vou dar nenhuma resposta porque nesta guerra dos sexos quanto menos se souber do inimigo mais agradável se torna a vivência entre ambos.

SOL da Esteva said...

Quando o Amor é simples e verdadeiro, a partilha é feita, sobretudo, de confiança. Se esta falta... não pode afirmar-se haver Amor.
Belo texto para dar lugar a uma longa reflexão.

Beijos


SOL

Sofia Henriques said...

Concordo...Parece-me que depois de uma grande desilusão os homens têm muita dificuldade em voltar a entregar-se sem reservas. Acho que nas relações que possam vir a ter depois preferem optar por uma mulher que seja "average" e que sabem que não os vai deixar ou trair, do que voltar a estar com alguém que os arrebate. Talvez tenham receio de perder o controlo, não dominar a relação e, como é um coração já cheio de remendos que está em jogo, preferem não colocar-se novamente em risco. Talvez as desilusões amorosas numa idade relativamente precoce estejam na génese de muitos dos sacanas que nos deixam de coração partido.

Sofia Henriques said...

Concordo...Parece-me que depois de uma grande desilusão os homens têm muita dificuldade em voltar a entregar-se sem reservas. Acho que nas relações que possam vir a ter depois preferem optar por uma mulher que seja "average" e que sabem que não os vai deixar ou trair, do que voltar a estar com alguém que os arrebate. Talvez tenham receio de perder o controlo, não dominar a relação e, como é um coração já cheio de remendos que está em jogo, preferem não colocar-se novamente em risco. Talvez as desilusões amorosas numa idade relativamente precoce estejam na génese de muitos dos sacanas que nos deixam de coração partido.

Sofia Henriques said...

Concordo. Penso que os homens depois de sofrerem uma grande desilusão não voltam a entregar-se da mesma forma. Parece-me que que depois da rejeição, de uma relação falhada, os homens preferem escolher uma companheira "average" mas que garantidamente não os vai deixar (ou trair) do que arriscar entrar numa relação em que não tenham controlo absoluto. De outra forma como explicar que muitos homens prefiram casar com uma pãozinho sem sal (mas que está garantida) em vez de uma mulher mais interessante mas independente, com "pêlo na venta" e que, portanto, pode colocar novamente um coração já fragilizado em risco?

Imperatriz Sissi said...

Deveras, Flor, quando as relações já nem para medir o ciúme chegam...

Imperatriz Sissi said...

Mau! Ando a ler fontes muito estranhas ou a observar a multidão errada ;)

Imperatriz Sissi said...

Obrigada ;) De certa forma concordo, embora me desse jeito a informação...

Imperatriz Sissi said...

Muito obrigada, SOL. Beijinhos :)

Imperatriz Sissi said...

Sofia, excelente reflexão. Este comentário merecia um post! Eu própria já fiz raciocínios semelhantes e estou totalmente de acordo: isso explica muitos homens fantásticos acompanhados por mulheres que ninguém cobiça, e muitas atitudes sacanas. Quando lhes dá para a insegurança, são bem piores do que nós, e péssimos amigos deles próprios. Uma vida ao lado de uma pessoa sem graça, só por medo de arriscar e perder coisa melhor, é uma ideia pavorosa. Obrigada. Beijinhos.

Sofia Henriques said...

Eu é que agradeço a honra de ver o meu comentário ser escolhido para o primeiro “Brilhante comentário da semana” num dos meus blogs de eleição. Continua com o excelente trabalho Sissi. Beijinhos.

Imperatriz Sissi said...

Muito obrigada, Sofia ;) Ainda bem que gostaste...e agradeço que o Imperatriz esteja entre os teus blogs de eleição! O comentário merecia realmente ser partilhado! Beijinho.

Urso Misha said...

Concordo com praticamente tudo apesar de cada caso ser um caso, mas no meu caso eu não baixaria a "bitola" até pelo contrário porque sei oq que vivo, mas percebo com o querer viver a vida de modo mais "fácil".

Textos relacionados:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...