Recomenda-se:

Netscope

Monday, December 10, 2012

Alexandra Lencastre: a fragilidade das mulheres belas

                                     
O assunto anda a correr a blogosfera e eu, que praticamente não vejo TV, lembrei-me de quando, na minha adolescência, conheci a Alexandra Lencastre. Foi um cumprimento breve numa sala cheia de jornalistas, com elementos da produção a correr de um lado para o outro e muita confusão, mas eu - que acompanhava o seu trabalho de longe em longe - achei-a encantadora. Muito simpática, muito doce, muito pequenina e ...lindíssima. Mais bonita ainda do que no ecrã. Não é daquelas pessoas que ficam muito diferentes ao vivo ou coisa assim, mas é uma mulher que sendo telegénica, presencialmente tem um brilho ainda maior. Recordo-me também que, nunca tendo ligado grande coisa a vestidos de noiva, achei um amor o que usou no seu primeiro casamento - um pouco barroco e em rosa chá - que mostrou num programa de moda.
Fotogaleria de Alexandra Lencastre
 A boa impressão manteve-se ao longo dos anos - com alguma pena pela falta de formatos disponíveis no nosso país para deixar brilhar os bons actores nacionais. Uma das poucas novelas portuguesas que acompanhei com viva atenção foi por causa da socialite malvada Luisinha Albuquerque, interpretada por Alexandra Lencastre. Era um "boneco" com graça, com glamour, com camadas. E ela estava fantástica. Ainda mais bonita, se possível. O conjunto que admiro numa mulher: beleza, talento, berço e porte. Rapidamente me desinteressei do assunto mas apercebi-me, com certa pena, que talvez a actriz tenha caído no erro de revelar demasiado as suas emoções, desventuras amorosas e fragilidades, de abrir as suas portas e a sua vida a uma certa imprensa. Fragilidades todos temos, e uma das mais dolorosas é a da mulher bela que deixa que o receio de envelhecer - acompanhado de outro pior, o de ficar sozinha - se apodere de si. Mas isso só se torna realmente grave quando é público. Ela assumiu ser frágil e precisar de atenção - e a imprensa cor-de-pêssego exagerou o facto até ao infinito. Tudo isso vale o que vale (apesar do peso que as aventuras televisivas possam ter para uma certa camada da população) especialmente se considerarmos o quão diminuto é o nosso star system, quão insignificantes os nossos tablóides. Alexandra Lencastre não precisava, na minha modesta opinião, de intervenções estéticas, tal como não precisava de alimentar revistas del corazón. Será sempre bonita; e se isso a faz feliz, pode continuar a ter uma imagem sexy pela vida fora sem cair na imitação da Alexandra com 20 anos (olhem a tia Sophia Loren!) . Tenho dito que tratamentos estéticos mais ou menos invasivos devem estar de acordo com o nosso tipo, sem modificações de maior. Espero que tenha sido esse o género de "retoque" que tenha feito. Não é, de qualquer modo, caso para tanta admiração - o rosto ainda está inchado e acredito  que volte ao normal. O que importa é que tenha "arranjado" o que quer que a andasse a incomodar lá por dentro - se é que de facto se tratava disso - porque se não for assim, não há mudança exterior que valha. Está tudo na confiança. E prestando atenção ou não a questões novelescas, não me agrada nada ver uma das mulheres mais bonitas do nosso país a passar o discurso da "diva frágil". Já bastam as que não têm nada de divas, ou de belas...








7 comments:

Tamborim Zim said...

É a modificação das feições o q mais me apoquenta nestes casos. Tudo p, no final, aparentarem aproximadamente a mesma idade, senão mais.Pequeno retoque é coisa bem diferente. O tempo é inflexível, conviver com as idades o melhor possível é uma boa ideia...

Tamborim Zim said...

Ah...era ultra-fã da Luísa Albuquerque e tb vi a novela toda por causa dela. Assombrosa!

Nuno Raphael Relvão said...

Sinceramente, a mim o que me parece é que retirou/deixou passar as acções e efeitos de intervenções anteriores, nomeadamente no referente ao volume das maçãs do rosto e o botox nos lábios.

Sem dúvida que ainda estará com o rosto um pouco inchado, e, nestas fotografias, parece-me que sem maquilhagem, mas, ainda assim, o que vejo é um rosto mais similar ao de quando era nova (especialmente em relação ao visual, extremamente exagerado, na minha opinião, que usava recentemente) numa maior aproximação ao que seria, hoje, o resultado de um envelhecimento natural.

Acredito ser possível que tenha ganho auto-confiança suficiente para assumir a sua verdadeira beleza e ficar melhor que o que a artificialidade lhe proporcionava... ou pelo menos mais autêntica. O que tem a sua própria atractividade.

Fica a opinião masculina de quem considera que a regra (com muito, mas mesmo muito, poucas excepções) é a emenda (cirurgias plásticas) resultar pior que o soneto (beleza natural).

A Bomboca Mais Gostosa said...

Concordo Sissi, é uma mulher linda e cheia de talento, tenho pena que demonstre as suas fragilidades assim. E quanto à cirurgia, de facto agora parece irreconhecível, espero que melhore, porque sou da mesma opinião quando dizes que ela não precisava de nada.

Imperatriz Sissi said...

Ficam a parecer ter a mesma idade, mas com "trabalho feito na cara". Não tenho nada contra retoques, mas têm de ser subtis para resultar. A Luisa era adorável, mas acho que cederam demasiado à ditadura bons/maus do formato novela e aquilo foi ficando cada vez mais chocho..até que mataram a pobre coitada. Personagens com muita dimensão não funcionam nesse modelo. A filha era insuportável mas supostamente era a "boazinha" da história. Blhec.

Imperatriz Sissi said...

mmm...será? Eu apostava em peeling e botox. Não me parece que tenha feito nada antes.

Espero que realmente tenha recuperado a auto confiança.
E a beleza natural é sempre melhor.

Imperatriz Sissi said...

Vamos esperar que assim seja, Bomboca. Seria uma pena, ela é muito gira!

Textos relacionados:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...