Recomenda-se:

Netscope

Saturday, January 12, 2013

The Red Shoes

Moira Shearer
"Nothing in the world that can be compared to red shoes!"

 Hans Christian Andersen

   Há algo de ousado, atrevido e pecaminoso em sapatos escarlates - basta recordar o arrepiante conto de Andersen, que avisa contra as consequências da futilidade e da vaidade excessiva. Mas também uma certa mística pop, se pensarmos no muito mais fofinho Feiticeiro de Oz. Tradicionalmente, encarnado é uma cor que não conhece meios termos: bem usada tem resultados esplêndidos, mal calculada é um desastre. É uma das minhas preferidas, mas ponho certo limite ao seu uso. Mais do que qualquer outra, exige peças de qualidade para não parecer "barata". Porém, nas últimas temporadas tem-se assistido a um aligeirar das associações que tradicionalmente se fazem quando falamos na cor da paixão. O bâton vivo - rubi, alaranjado, sangue, cereja - que há décadas não era considerado "aceitável" para o dia, ou para looks casuais, invadiu de súbito as ruas, destronando finalmente o gloss tímido; este Inverno, várias colecções apresentaram  versões modernas da "Mulher Escarlate" através de peças volumosas, como casacos e peles. Quanto ao verniz...há muito que é um clássico. Com os sapatos, não é bem assim. Foram necessárias várias estações para que finalmente nos atrevêssemos a passear por aí com pés tão...diabólicos. Pessoalmente estou a habituar-me à ideia (vou começar por burgundy e bourdeaux). Até aqui, não via grande utilidade em sapatos encarnados, embora os ache bonitos - pois prefiro um nude, ou tom metalizado, para acompanhar uma toilette dessa cor.                         
   Mas  a verdade é que há uma magia muito especial num par de red shoes - qualquer sapatinho parece um amor, com todos os detalhes amorosos em evidência. Precisamente por isso, recomenda-se alguma cautela (se acham que não, pensem nas Litas vermelhonas que grassaram por aí no Verão passado). Formas simples e com poucos enfeites, como stilettos ou pumps graciosos, são a escolha mais óbvia e versátil. Por outro lado, há dias estive mesmo, mesmo tentada a trazer comigo um modelo estilo sec. XVIII (parecido com os da última fila, na imagem abaixo) um verdadeiro atrevimento ... e só não o fiz ainda porque uma pessoa ponderada me segurou, dizendo que não me estava a ver com uma coisa tão extravagante (ou escandalosa) nos pés. Veremos se me decido por um par (ou dois) mas que os  maroto dos sapatos têm algum magnetismo mefistofélico, isso têm.

The Red Shoes

5 comments:

J. Margarida said...

Eu ainda ando à caça dos sapatos vermelhos perfeitos. Quando me apaixono por uns, tungas, nunca há o meu número.

Rosa Cueca said...

Ando doida para comprar uns...só não encontrei ainda uns que me falassem ao ouvido ;)

Imperatriz Sissi said...

@J.Margarida, também estou de olho. A minha primeira ideia é comprar uns pumps simples (nem muito compensado-apesar de esse ser o meu modelo de eleição - nem muito bicudo, nem muito redondo, mas que dê uma boa elevação ao tornozelo e seja confortável. Vi uns que tinham o formato de que gosto, mas o 36 era pequeno,o 37 caía-me, por isso fiquei sem saber se gosto de me ver ou não. Já os sapatos sec. XVIII caíam mesmo bem...a minha escolha deve ir para esses e para uns pumps, se chegar à conclusão que lhes dou uso.

@Rosa, ando atenta à procura disso mesmo :)

Akira Ureshi said...

tambem adoro mas ainda nao encontrei dos perfeito (pk para comprar sapatos coloridos tem que ser perfeitos)

lena said...

Adoro e ando a namorar uns lindos que vi.
Beijinhos grandes.

Textos relacionados:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...