Recomenda-se:

Netscope

Sunday, August 25, 2013

Duas pinderiquices do dia

                     

1- Que o estilo da Duquesa de Cambridge (que é aquele que compete à sua posição, nem mais nem menos, sem que a meu ver haja ali algo do outro mundo) chame a atenção pela positiva, considerando toda a cobertura mediática que lhe é dada, eu entendo. Catherine Middleton é bonita, simpática e desempenha o papel que deve desempenhar. Agora, que cada farrapito que veste esgote nas lojas... isso já me ultrapassa. Diz que o vestido púrpura normalinho, normalinho, que usou nos retratos "oficiais" com o pequeno ao colo, provocou uma corrida louca aos pontos de venda da marca para mamãs que o fabricou (aliás, bastante acessível). Por sua vez a Séraphine, assim se chama a empresa de pronto-a-vestir, agora coloca no seu site um carimbo "usado por Kate Middleton" sobre cada exemplar que a Duquesa levou à rua. Já o vestido às bolinhas que "luziu" à saída da maternidade tinha causado o mesmo sururu, e o azul de noivado, e...bom, percebem a ideia.  Eu que acredito que a mulher do herdeiro do trono inglês deve ter popularidade, sim, mas não é exactamente uma rock star ou coisa que se pareça,  acho que este aproveitamento comercial não é nem um bocadinho digno e muito menos elegante, mas enfim: há que movimentar a economia de alguma maneira, já que não se pode evitar a falta da imaginação do povo. 
   E a julgar por isto parece-me que as britânicas, ou pelo menos parte delas, são totalmente destituídas de criatividade. Tal histeria já não é apreciar o estilo de alguém: é idolatria bacoca e carneirada. O síndroma pindérico também quero ser "princesa". Que se ache graça e se compre um vestido semelhante, eu entendo. Mas o mesmo vestido, na mesma cor? E com tanta corrida vão fazer o quê, usar o vestido todas ao mesmo tempo? Mesmo que não lhes fique bem? Aliás, vestidos desses tenho-os visto aos montes nas lojas mais comuns. Só repararam no modelo agora? Se há coisa que me tira do sério, são popularuchices e imediatismos reles. Por muita simpatia que se tenha pelo Trono Inglês, e eu tenho, não há mesmo paciência para tanto deslumbramento barato.

                                             

2- Tenho o maior respeito pela Avon e gosto muito de alguns dos seus cosméticos, mas a sua especialidade não é exactamente alta perfumaria. Vai daí, apostam em Megan Fox para uma fragrância "selvagem" e colocam a menina, com o mau ar que a caracteriza (a despeito de ser realmente bonita, mas já se sabe: beleza e bom ar nem sempre andam juntos) num vestido tigresse que parece mesmo, mesmo da lojinha do chinês lá do subúrbio. Megan Fox sempre teve um ar baratinho, baratinho, anyway, mas enfim, fez a Armani há uns tempinhos atrás. Isto parece-me que foi uma má jogada quer para a marca, quer para a actriz. Se a Avon precisava de um nome de primeira água para se promover, era preferível apostar numa celebridade com outra classe, subindo a parada, e colocá-la na campanha de um perfume mais bem pensado, mais clássico, menos...óbvio. Olho para ali e ocorre-me imediatamente "perfume de stripper". E Megan Fox não tem uma reputação tão sólida que a sua imagem não perca pontos com uma associação deste género. Isto é a marketeer que há em mim a raciocinar, e também a minha embirração com raparigas que tenham o aspecto dela, por isso sou suspeita. Mas que não acho requintado ou que acrescente alguma coisa a ambas as partes, isso não acho, pronto.

1 comment:

Na Província said...

Concordo com a sua opinião sobre a corrida aos vestidos usados pela duquesa, nunca o faria, mas enfim :)
Um beijinho

Textos relacionados:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...