Recomenda-se:

Netscope

Monday, August 12, 2013

O anúncio mais cool de todos os tempos. Ever. Sem discussão.

                             
Freddie Mercury (e quem diz Mercury diz os Queen) não tem tido a devida atenção aqui no Imperatrix, falta que desejo remediar em breve. Relatei algures por aqui a minha relação muito pessoal com a sua música, com a sua figura. De todos os deuses do rock (Bowie, Jagger, Morrisson) que moldaram os meus gostos, Freddie era o mais completo - porque era o que Oscar Wilde seria se cantasse. Glamouroso. Ícone de moda. Poeta. Com beleza, carisma, um estilo que nunca se desvanece e uma allure vitoriana. Muitas vezes, quando me apetece algo de boémio ou glam no meu visual, é em Freddie que penso. 
E a voz que...bom, é ridículo e escusado tentar sequer elogiar a voz de Freddie Mercury. Jamais alguém chegará aos seus calcanhares - Mercúrio desceu à Terra, agraciou-nos com a sua presença e quando a vulgaridade do Mundo o cansou, voltou para The Lap of the Gods, onde pertencia. Foi uma honra e um privilégio tê-lo entre nós. Posso dizer que nunca fui de amar celebridades a não ser pela admiração do seu trabalho, nunca fui de idolatrias nem de tornar essa apreciação algo de pessoal- menos Freddie, que amo de todo o coração e cuja partida para o outro mundo senti como perda íntima (eu que raramente choro muita lágrima gastei, muito pequena e infeliz frente ao televisor). Cá em casa todos o adoramos - os meus pais eram fãs desde os primeiros álbuns - e para quem acredita nestas coisas, posso dizer que é para mim como um anjo da guarda. Tem uma canção para cada momento da minha vida: os desgostos. A raiva. A paixão ou a desorientação. O modo vencedor "entro ali e vou partir isto tudo" ( os icónicos We will Rock you, Another One bites the Dust, Princes of the Universe) e não minto se contar que nos meus momentos mais importantes, sem ser de propósito, passou uma das suas canções como tema de fundo. Sempre. É como uma companhia, mas também uma inspiração. Espero em breve dedicar um post ao seu look, ao seu estilo.
 Logo, é natural que eu vibrasse de alegria com este anúncio: afinal, romanos, gladiadores e Queen é muito bom. Nem de encomenda. E o que eu adoraria ter entrado no elenco, nem que fosse para servir de vítima aos leões? God Save *the*  Queen!





2 comments:

Sérgio S said...

A amiga só pode ser boa pessoa...
Hoje de noite, não estava a conseguir dormir, provavelmente devido ao calor... Levantei-me e fui ouvir um bocadinho de música... E, sabe-se lá porque, sabe-se lá de onde, sabe-se lá porque razão, o que foi que ouvi, o que foi?...

Pusinko said...

Partilho o sentimento e admiracao pelo Freddie (e Queen), um dos poucos artistas que nunca cansou ou que tive de por de parte uns tempos para sentir saudades. É eterno e, como bem dizes no post, foi uma honra te-lo entre nós.

Textos relacionados:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...