Recomenda-se:

Netscope

Sunday, August 4, 2013

Post nojento, para variar.

                    

Aposto que os meus amigos nunca pensaram ver o dia em que o Imperatrix tivesse um post nojento, que fizesse....vá, humor com coisas feias, como blhecs que contenham ADN e assim. Confesso que eu também não. Não sou minimamente dada à brejeirice, a piadas escatológicas muito menos (arrepiam-me) e embora ache graça às saídas ousadas de alguns bloggers, isso não faz minimamente o meu estilo. No entanto, a chamada de uma amiga, há pouco, fez-me rir e pronto... algum dia tinha de ser. Dizia ela, muito indignada, que ficou sem contactos no telemóvel porque o aparelhómetro lhe caiu...na retrete. E agora não tenho os números de ninguém porque fiquei com nojo de lhe mexer!!!! Problema assaz compreensível...
 A escolha de palavras dela chamou-me a atenção, mas o que motivou o post é que já não é, no último mês, nem o primeiro, nem o segundo telemóvel de pessoas amigas a ter tão triste fim. Estarão os telefones tão fartos de transmitir disparates que escolhem essa forma humilhante de suicídio como meio de protesto?
 Até ver, o meu (um Blackberry desgraçado que vai ver o caixote do lixo mais dia menos dia porque não merece outra coisa, logo que eu perca a preguiça de escolher um substituto que funcione decentemente e que não seja muito caro, pois se há desperdício que me enerva é torrar o meu dinheirinho em engenhocas) limita-se a protestar crashando, bloqueando e parando de funcionar em momentos críticos. Mas com a quantidade de barbaridades que tem ouvido este ano não me admira que salte para dentro de alguma coisa na tentativa de se auto destruir. A minha sorte é que o mantenho longe de lugares íntimos como a retrete. Há certas coisas que tenho reserva em fazer - e comunicar com alguém num sítio desses parece-me o mesmo que mandar o interlocutor em causa a uma certa parte. Não que algumas pessoas não mereçam, mas como as acções ficam com quem as pratica, eu não me rebaixaria a tanto. Por isso, e só por isso, é que ele ainda não se afogou de forma pouco estética. Aposto.

1 comment:

Sérgio Saraiva said...

1. Existem uns artefactos chamados de "luvas" (nomeadamente daquelas de borracha), que servem para este tipo de situações.

2. Eu não falo ao telemóvel nas minhas casas de banho porque fazem um eco estranho. Acho que é a mistura de espaço pequeno com as paredes forradas a azulejo.

3. Não percebo porque tanta gente gasta tanto dinheiro a comprar telemóveis topo de gama (só para dizerem que têm), quando depois mal os sabe usar e nem percebem a diferença entre o que compraram e um 3 ou 4 vezes mais barato.

Este último ponto é aliás interessante: em todos os países, excepto Portugal, quando sai um novo iPhone, dá-se um pico de vendas do novo (novidade) e do modelo anterior (porque baixa de preço nesse mesmo dia). A ideia é simples, o modelo anterior continua a ser um muito bom telefone, mas passa a ter um preço acessível. Estamos a falar de cerca de 40% dos iPhones que se vendem serem modelos anteriores ao mais recente. Em Portugal... Assim que sai um novo deixa-se simplesmente de vender os anteriores, o que não deixa de ser expressivo da nossa maneira de ser como povo: falidos, mas não admitimos outra coisa que não o ultimo telemóvel de marca, mesmo que não façamos ideia de como se usa...

Textos relacionados:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...