Recomenda-se:

Netscope

Thursday, August 22, 2013

Tigresse: sim ou não e...como usar com classe?

Betty Davis
                           
O eterno tigresse (ou com mais justiça, leopardo) nunca passa totalmente de moda: mantém-se entre as fantasias "aceitáveis" no guarda roupa feminino, aparecendo de novo como "tendência" ano sim, ano não . E nesta estação faz mais um desses regressos periódicos - até a discreta Burberry Prorsum apostou forte no temido estampado-  para alegria das mulheres arrojadas e dilema das que colocam a elegância em primeiro lugar.

Goste-se ou não dele,  o tigresse é um dos poucos "clássicos arriscados": ao contrário do Pequeno Vestido Preto ou do trench coat, que cabem em toda a parte e ficam bem a toda a gente,  este padrão pode resultar fantástico ou, pelo contrário, "sujar" o visual e parecer vulgar. 

É menos "democrático" do que os seus irmãos mais discretos (cobra e crocodilo) que têm sempre uma certa patine. Afinal, por ser tão...sensual (pensemos em Roberto Cavalli e Dolce & Gabbana, griffes marcadamente sexy que têm o leopardo constantemente presente nas suas colecções) é muito reproduzido em contextos ou materiais menos recomendáveis, acabando por se banalizar. 
   E com isso, quase nos esquecemos que animal print pode sim ter bom ar ou mesmo fazer parte do mais sofisticado e senhoril dos visuais . Tigresse não é antónimo de um aspecto polido: se dúvidas houvesse, basta ver que a Santa Trindade da elegância depurada ( Grace Kelly, Audrey Hepburn e Jackie Kennedy) não deixou de a usar. E o que estas três senhoras vestiram não pode estar errado porque não pode, pronto, não é cientificamente possível debaixo do Sol. 
             
 Um vestido ou casaco assim podem ser a solução perfeita para os dias "não sei o que vou vestir" porque sozinhos, fazem um outfit. Ainda assim, usar tigresse ou leopardo sem erro exige alguns cuidados:

- Na dúvida, fique-se por sapatos ou acessórios: chapéus, écharpes, carteiras ou calçado
permitem "dar o toque" sem grandes arrependimentos. E por favor, um apontamento tigresse numa toilette chega  e sobra!
                                    
- Escolher peças que durem para a vida: tigresse é um padrão statement, certo; mas para compensar o investimento não deve ser visto como uma fantasia momentânea, já que volta à ribalta de tempos a tempos e dá sempre jeito tê-lo no armário. As opções clássicas são preferíveis às mais divertidas porque, bem...o padrão em si já é "vivaço" que chegue. Saias lápis ou de inspiração anos 50, casacos e vestidos estilo Diane Von Fustenberg são opções simples e sensatas para animal print. Neste momento não compraria mais nada tigresse, porque o uso tão raramente:  uma saia primorosamente feita (Cavalli, nem mais) uma camisa de seda, umas calças italianas que comprei por impulso (não é o meu costume, mas acontece) uma ou duas carteiras, dois vestidos camiseiro, lenços, sapatos, um vestido preto de musselina com forro visível de leopardo e um casaco de faux fur com manchas muito ligeiras são as peças que me ocorrem de momento e que sobreviveram ao teste dos anos. Ando há muito tempo com vontade de ter uma gabardine curta em leopardo (o clássico dos clássicos) mas nunca me atrevi. No entanto, esta é a peça a comprar se não puder/quiser ter mais nenhuma. Use-a sobre um vestido preto, com uns bons stilettos, e está pronta.

- Bom ar, bom ar, bom ar: tigresse não perdoa ser combinado com peças de qualidade duvidosa ou aspecto velho; muito menos com nail art, cabelo sujo, raízes à vista ou maquilhagem esborratada. Guarde-o para os dias em que está com boa cara/pele/cabelo.

- Styling bom e simples: coordene o padrão com roupas de qualidade, mas deixe-o brilhar. Os scarpins, stilettos e linhas simples que estão em voga este ano são a opção perfeita.  Combiná-lo com chunky heels, plataformas, jeans com lavagem extravagante,  folhos e tudo o que seja chamativo fazem passar a mulher mais bonita de um look "quinta Avenida" para "Buraca" num ápice.

- Peças de qualidade: isto é válido para tudo, dentro do orçamento de cada uma; mas se um vestido azul marinho escapa sempre, mesmo que o tecido e confecção não sejam lá grande coisa, num tigresse o caso muda de figura. Cuidado com tecidos sintéticos, faux-furs que pareçam de brincar e "liberdades" semelhantes.


4 comments:

Veruska said...

Eu, só uso em sapatos! :)

Fashionista said...

adorei! Adoro este padrão e concordo com a regra de apenas um apontamento!

Pusinko said...

Recordo um post há uns tempos elogiando a Eva Mendes num vestido interessantíssimo que lhe caia perfeitamente. Este género de padrao é um risco para qualquer mulher que nao tome atencao ao conjunto todo. Resultou na Eva porque ela esteve impecável em tudo: cabelo, acessórios, casaco, pele... Nao é qualquer uma que pode ir tao longe, mesmo sendo Dolce e Gabbana.
Nao sou grande fa de animal print mas, a usar, só em detalhes.

Carla said...

Eu adoro este padrão. E quando o uso, fico-me só por uma peça.

Textos relacionados:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...