Recomenda-se:

Netscope

Tuesday, September 10, 2013

Bellville Sassoon, Diana de Gales, ou momento "aqui há fantasmas" do mês.

H.R.H Diana of Wales, usando Bellville Sassoon
Por estes dias, juntei à minha colecção alguns vestidos - daqueles que estão religiosamente guardados num requintado armazém no meio de nenhures até uma revendedora atenta os seleccionar, embarcar e trazer para uma compradora sortuda (eu!). Veni, vidi, vici, depois de uma escolha preliminar reparei que entre eles estavam criações de Bellville Sassoon (já da fase em que o irish lad Lorcan Mullany tomou conta da Casa). 

Bom, o nome pode não ser muito familiar por cá, mas trata-se uma etiqueta com a sua própria magia. A griffe, especializada em vestidos de noite 
(tornou-se muito conhecida pelos chiffons) foi fundada em Londres, 1953, por Belinda Bellville, que se inspirou na loja de modas para senhora que a sua avó geria na década de 1920. O designer iraquiano David Sassoon juntou-se à marca em 1958, com enorme sucesso entre as senhoras de sociedade e celebridades da capital inglesa. 

Os vestidos de David apareceram nas capas da Vogue e Harpers Bazaar e entre as suas clientes contavam-se Audrey Hepburn, Jackie Kennedy, Elizabeth Taylor, a Princesa Michael de Kent, Ivana Trump, Madonna, a Duquesa de York, Jerry Hall, Helen Mirren, a Princesa Margarida...a lista é impressionante. Já idoso, David afirmou ser "provavelmente o único designer que vestiu todas as mulheres da família real com excepção da Rainha". E nos seus primeiros anos de casamento, Diana de Gales teve-o como designer de eleição.
        Satisfeita com o meu achado histórico, o dia seguiu tranquilo. Horas depois estava muito bem em casa quando a minha prima entra com um cestinho cheio de coisas boas, em modo Capuchinho, e se lembra de me devolver um porta chaves que eu tinha deixado em casa dela (e de cujo paradeiro não sabia há meses). Nada de especial, certo? A não ser que o porta-chaves é um souvenir da Princesa Diana. Guardo-o porque mo ofereceram e porque tem a minha data de nascimento estampada, o que se diz que é de bom agouro. 
Coincidência ou não,  fiquei toda arrepiada...oh well, desde que sejam vestidos do outro mundo...who cares?
                                                     
                                     Vestido de cocktail Bellville Sasoon-Lorcan Mullany, 1989



1 comment:

Liane Carvalho said...

Lembro-me bem deste dia, mas jamais me imaginaria estilo capuchinho vermelho :) Há coincidências arrepiantes! Beijinho prima

Textos relacionados:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...