Recomenda-se:

Netscope

Saturday, October 26, 2013

Jane Austen dixit: quem não se sente, não é filho de boa gente.



Há comportamentos no sexo oposto que eu não percebo, e a falta de lealdade e empatia é um deles. Fazem coisas que mortificam o orgulho da mulher de quem gostam - coisas que, fossem eles o alvo de tais actos, nunca seriam capazes de perdoar. 
Depois decidem passar uma camada superficial de tinta sobre o assunto deixando tudo exactamente na mesma, atirar o caso para o fundo do baú, não falar mais nele enquanto um novo episódio se prepara (porque os mesmos factores levam inevitavelmente ao mesmo resultado) e ainda querem palmas, tudo lindo outra vez, tudo como dantes no quartel de Abrantes e carinha alegre.
 E claro, quando não é isso que acontece ficam todos ofendidos, todos sentidos, eu para aqui a esforçar-me e aquela ingrata com a mania que é boa, etc. 
 Mas onde é que está escrito que "quem não se sente, não é filho de boa gente" não toca às mulheres? Ou a quantidade de mulheres tapete que sofre tudo, atura tudo, faz o pino para receber migalhas é de tal maneira grande que já não sabem agir perante uma pessoa normal - já não digo orgulhosa, mas com o bocadito de brio que separa a gente decente de, sei lá, tropa fandanga que estava bem na Casa dos Segredos? Alguém que explique o fenómeno, faz favor. Grata.



No comments:

Textos relacionados:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...