Recomenda-se:

Netscope

Saturday, January 18, 2014

Ligeiro assomo de feminismo do dia, e duas outras brilhantes conclusões

                                                   
1- Chegar a casa depois da correria diária, ver que o carteiro nos trouxe o par de sapatos italianos perfeito para a colecção e ocorrer-nos a cantiga das Destiny´s Child:


The shoe on my feet, I've bought it

The clothes I'm wearing, I've bought it (...)


The house I live in, I've bought it

The car I'm driving, I've bought it
I depend on me, I depend on me

É que isto de ser uma rapariga tradicional, à moda antiga, é tudo muito bonito, eu até defendo que o feminismo nos trouxe muitos trabalhos dobrados e amargos de boca, mas não há nada como não depender rigorosamente de ninguém (e muito menos, dar contas a ninguém) no que respeita às aquisições que fazemos ou deixamos de fazer .Lá diz o estribilho: uma mulher a sério basta-se a si própria, mas um homem a sério não permite que ela o faça. Certo - mas nunca fiando. Os alfinetes de cada uma são da sua responsabilidade e se uma rapariga tem a sorte de ter ao lado quem acrescente mais alfinetes e não a mace, fantástico. Mas mulheres que esperam quem as carregue para isso...é mau em todos os sentidos.  Sou bota de elástico em quase tudo menos nisso: até porque a grande maioria dos homens percebe pouquíssimo de moda.  É certo, no entanto, que uma mulher elegante e bem arranjada da reputação de boneca, dondoca ou cabeça de vento não se livra, nem que tenha um QI de 150, rendimentos apreciáveis e seja um verdadeiro rato de biblioteca. Os neandertais são como as baratas: hão-de existir sempre.  

2- Isto de fazer compras inteligentes e de acompanhar as tendências  tem os seus quês: sucede-me antecipar que determinada peça vai voltar a ver-se nas lojas e adquiri-la de antemão. Por exemplo, sapatos abertos. E depois passo meses a olhar para eles e a suspirar que venha o sol para os poder usar, como uma criancinha a ansiar pelo Natal. No Verão acontece a mesma coisa, mas com os casacos. E esta chuva a deprimir uma pessoa!

3 - Por vezes os designers tentam, porque tentam, impor ideias estranhas: é o caso das meias curtas com sandálias, sapatos ou peep toes. Usar uns "peúgos" dentro de calçado aberto não é estético, não alonga a figura, fica pateta e há-de ser no mínimo desconfortável. Só parece cool na passerelle. Ora, eu estou cansada de dizer que no que respeita ao styling sou um pouco nunca digas nunca, mas traço uma linha aí. Neste artigo da Elle, por exemplo, eu ficava com os sapatinhos todos, mas os "peúgos"...no thanks.

No comments:

Textos relacionados:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...