Recomenda-se:

Netscope

Sunday, February 9, 2014

Quem sai aos seus não degenera.


Eu não sou exactamente uma fã de Beyoncé Knowles. Agradeço-lhe os bons momentos passados com as minhas amigas ao som das Destiny´s Child (ladies leave your men at home and the club is jumping-jumping, etc, etc...) gosto de algumas canções dela ("All the single ladies" é uma sátira fenomenal) e quanto ao estilo, acho admirável a forma como consegue quase sempre estar na fronteira exacta entre o sexy e o vulgar, entre o chic e o trashy sem desastres de maior. Se por causa dela vemos montes de raparigas-da-coxa-grossa semi despidas na rua, em figuras tristes de alternadeira ...bom, a culpa não é da Beyoncé - eu diria que será mais de Rihannas e Ritas Oras e outras, porque há coisas com que só Beyoncé consegue escapar ilesa. E se as pessoas não têm noção de que há roupas que são para usar em palco e não na vida real, então temos pena.


 Mas há um facto incontestável: Beyoncé Knowles é muito bonita, com a pele dourada, a estrutura óssea impecável e o ar altivo tão típico das french creoules. É que a sua família materna era de Nova Orleães, uma bela mistura de franceses, africanos e nativos americanos.
 O que eu ainda não tinha reparado é que a cantora não tem mesmo a quem sair feia. A mãe, Tina Knowles, é encantadora, com traços finos, uma silhueta poderosa e impressionantes olhos verdes rasgados. 



 Além disso, tanto a avó como a mãe eram modistas - o que explica outras coisas, como o afamado sentido de estilo da irmã, Solange Knowles
 Realmente, a genética determina *quase* tudo, como dizia o outro.

No comments:

Textos relacionados:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...