Recomenda-se:

Netscope

Sunday, March 16, 2014

Pessoas que me fazem querer ir para freira #1


Não me refiro aqui a desgostos do coração  (ir para um convento levar uma vida de oração e penitência não me parece a melhor forma de uma rapariga distrair o espírito das maroteiras de um desalmado qualquer ) mas a alminhas que, às vezes cheias de boas intenções,  esgotam de tal forma a paciência aos outros que a uma pessoa só lhe apetece encerrar-se entre quatro paredes bem altas e deixar de se arreliar com os desarranjos do Mundo. Antes desfiar rosários de manhã à noite e fazer exercícios de humildade do estilo lavar as pedras do chão ou tratar da pedicure às Irmãzinhas todas sem soltar um ai.

 Um dos exemplares dessa classe de criaturas é a boa gente que dá mais atenção à forma do que ao conteúdo e que faz os outros soar as estopinhas à conta de um detalhezinho de nada, enquanto deixa o mais importante ir por água abaixo. É o tipo de pessoa que se a casa está a arder e lhe chegam o extintor, implica que não quer o extintor encarnado, que lhe tragam antes o azul, e não apaga o lume nem deixa apagar; que se o barco está a ir ao fundo, manda encerar o convés em vez de segurar as velas (ou o que quer que se faça para impedir um barco de naufragar, que eu cá não percebo nada disso); que não se maça de deixar queimar o bolo no forno, desde que a cobertura esteja bem bonitinha e haja exactamente 355,1 rosinhas de açúcar para lhe pôr. 
 Se quisermos continuar com metáforas náuticas, foram pessoas assim que deixaram que o desgraçado do Titanic se escangalhasse contra um iceberg, só porque ficava bonito sair nos jornais que tinha chegado ao seu destino a uma velocidade recorde.

 Está certo que é preciso sê-lo e parecê-lo, mas o inglês ver tem limites e pessoas sem nenhum sentido prático tiram-me do sério. Miserere Mei Deus.

No comments:

Textos relacionados:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...