Recomenda-se:

Netscope

Sunday, May 25, 2014

O mexerico é como os anjos.


Ou seja, não tem sexo. Diz o povo que " as mulheres quando se juntam/ a falar da vida alheia/começam na Lua Nova/acabam na Lua Cheia" e às tantas  - como dizem que até está cientificamente provado que as raparigas têm um vocabulário maior, a capacidade de se concentrar em várias coisas ao mesmo tempo e são, em suma, mais verbais enquanto eles são mais visuais - o mulherio fica com a má fama. 
 Porém, a julgar pelo que tenho visto, a capacidade para a cordilhice, o cortar na casaca, a curiosidade doentia, o cocar, o seguir, o dar fé de tudo, o comentar, lançar rumores ou boatos e o bisbilhotar está, graças a Deus, distribuída com certa igualdade entre homens e mulheres - e contem-se aqui "cavalheiros" bem varonis e espadaúdos, de quem não se espera tal coisa.

 O que difere são os motivos. As mulheres tendem provavelmente a entregar-se a tão feia actividade de forma mais generalizada, menos pessoal, para passar o tempo. Tanto falam de alguém com quem antipatizam (a parvalhona que se atirou ao namorado, a colega insuportável) como de alguém que mal conhecem e que por bons ou maus motivos lhes desperta curiosidade. É uma conversa "de mulheres" miudinha, rumorosa, sem grande interesse e muitas vezes, se nada tem de edificante é pelo menos inócua. Entra por um ouvido e sai por outro...

  Os homens mexericarão menos, mas quando o fazem é quase sempre por um motivo íntimo, apaixonado, de ego, vingança ou de ganho pessoal. Não é por acaso que as nossas avós temiam tanto pela reputação: manda a etiqueta "a gentleman won´t kiss and tell" mas poucos respeitavam a máxima. Ou respeitam.

Uma mulher mexerica por mexericar, insensivelmente; um homem mexerica, por motivos e com consequências mais ou menos graves, quando não o consegue evitar ou porque lhe dá jeito: para se fazer maior do que é (a velha e inofensiva basófia masculina) para se vingar da amada que não esteve para o aturar (e que retaliação é melhor do que manchar-lhe a imagem?) para dar o troco a uma partida de um colega, para afastar um rival no amor ou na carreira. O seu mexerico é mais pragmático, e por isso mais perigoso.

 Não que as mulheres não sejam capazes do mexerico pragmático, da intriga ou da conspiração: mas é preciso mais para chegarem a tanto. Com eles, não será tanto assim. Tal como usam a força, são capazes de se socorrer da má língua e entrar em verdadeiros negócios de comadres, de fazer tremer as beatas à porta da Igreja e as peixeiras nas bancas do mercado.

  Como dizia a minha bisavozinha, Deus tenha a sua alma em descanso, livrai-nos de tais almas danadas e línguas de Faraó. Ora, se ela dizia língua de Faraó e não língua de Cleópatra por algum motivo seria...

1 comment:

Inês Sousa said...

Apesar de concordar que os homens são capazes de prejudicar gravemente outrém com os seus mexericos, eu fui bem mais prejudicada tanto a nível pessoal como profissional por mulheres com língua viperina. Por isso acho que ambos os sexos estão bem equilibrados neste assunto. Claro que as mulheres são mais mexeriqueiras mas acho que isso se deve ao facto de também "tagarelarem" muito mais.

Textos relacionados:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...