Recomenda-se:

Netscope

Saturday, May 10, 2014

Uma mulher, 10 carteiras.

De acordo com a Harper´s Bazaar, estas são as 10 carteiras que todas as mulheres devem ter:



1- Carteira preta clássica de dia, à prova de tendências, estilo Fendi ou Chanel - de mão ou a tiracolo (de preferência, que permita as duas opções).



2- Tote bag de tom neutro, como a Antigona de Givenchy, que dá um ar composto a qualquer toilette.


3- Clutch de dia, para um aspecto polido nos dias em que não apetece trazer a casa às costas...e para aquele almoço de negócios ou chá com as amigas. Num bonito tom de cabedal ou em camurça colorida, se for grandota torna-se tão versátil que é difícil largá-la. Além disso, é muito útil para aqueles momentos "não sei onde pôr as mãos".



4- Minaudière de metal: ok, em relação a esta há que ser realista. Poucas de nós resistirão a ter uma (ou mais) "carteira jóia", daquelas em que não cabe quase nada. São uma alternativa mais requintada à clutch de cerimónia e existem em todos os formatos, dos clássicos aos mais fantasiosos, atingindo por vezes preços exorbitantes. Pessoalmente, sou uma rapariga de clutches para a noite (existem versões de metal que fazem o truque e onde cabe mais do que um lápis e um cartão multibanco) mas tenho um ou outro exemplar de minaudières antigo, verdadeiras relíquias. O truque, já se sabe, está em fugir dos modelos mini mini, porque se as meninas forem como eu só vão servir para enfeitar o closet...



5- Saco a tiracolo: seja um satchel bag, mais estruturado, um modelo maleável ou mesmo o incontornável bucket bag (os da Burberry ou Lancel são imbatíveis)  este tipo de carteira é ideal para manter as mãos livres em eventos com muita gente (feiras, festivais) e confere um aspecto  à moda mantendo a classe e a compostura. 



6- Carteira delicada com corrente a tiracolo: esta é uma das minhas preferidas, por ser multifacetada. É perfeita para saídas à noite, pois permite dançar à vontade; a maior parte delas pode ser usada como clutch, se recolhermos a corrente; e se a escolher de um tamanho razoável e em pele, de uma cor neutra, serve para o dia ou para a noite, podendo mesmo ser usada com looks relativamente casuais.


7- A carteira clássica, herdada e/ou vintage: aqui inserem-se os modelos preciosos e estruturados, sendo a Kelly ou Birkin da Hermès o exemplo mais famoso. Mas o importante é que o exemplar tenha passado o teste do tempo e possua certa patine, um ar conservado mas envelhecido, que a torna especial. A boa marroquinaria quanto mais antiga é, mais bonita fica e transforma o visual mais simples, vulgo jeans e t-shirt branca, em algo muito mais sofisticado.


8- Um exemplar divertido: de uma cor bonita e um pouco mais extravagante, com um toque boémio, todas precisamos daquela carteira que comprámos por nada de especial, só porque...enfim, é linda. 


9- Carteira colorida: convém que seja um modelo simples, numa cor de jóia: encarnado, laranja, turquesa, magenta...para animar um visual clássico, simples ou soturno sem cair em exageros.


10 - O saco de fim-de-semana: para escapadelas descontraídas ou viagens de última hora, convém ter à mão um porta-tralha com verdadeiro estilo. Nada contra as versões de marcas desportivas e alforges, salvo seja, da Hello Kitty ou coisa que o valha; servem o propósito mas chega-se a uma altura em que até para a mais elementar noite fora é aconselhável ter um saco de confiança, de aspecto luxuoso, mas ajustável e macio o suficiente para atirar lá para dentro tudo quanto há -além de discreto q.b. para passar despercebido  no cais de embarque. Quanto mais exclusiva a etiqueta mais especial se torna (há um  prazer perverso em atafulhar uma peça preciosa) mas o importante é que o material e a execução sejam da melhor qualidade e muito resistentes. 


É claro que a lista deixa de fora alguns modelos mais específicos, mas é um bom guia para ter em mente os essenciais em que se deve investir. 

Afinal, com estas 10 carteiras, nunca se está "desarmada";  e quando se pondera gastar mais convém que seja em algo deste tipo, pois dura para sempre. As consumidoras espartanas poderão querer ter uma de cada, outras (aqui me acuso) preferem ir coleccionando, mas para o fazer de forma sensata e que beneficie a utilizadora, não convém afastar-se muito destas opções nem esquecer o mantra "muito ou pouco, mas só da melhor qualidade" para evitar tentações que se estragam logo e vulgarizam o visual.

 E de tempos a tempos é aconselhável seleccionar, reorganizar, arejar e arrumar -  pois mesmo escolhendo só o melhor, o aspecto de um dia de arrumações de parte do acervo pode parecer-se mais ou menos com isto, obra de uma menina que eu conheço:


Capisce?







1 comment:

Gata said...

Ai, gostei do post! Agora vou ali arrumar as minhas, adeus! ;)

Textos relacionados:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...