Recomenda-se:

Netscope

Friday, July 4, 2014

Cão e gato.


Há as relações amor-ódio, já amplamente tratadas por aqui. E depois há a sua versão mais fofinha, menos crua: as relações cão e gato.

 Uma relação cão e gato pode ter sido sempre um campo de batalha (ao melhor estilo "A Fera Amansada" de Shakespeare) ter-se tornado assim por um percalço qualquer ou ser o estágio seguinte numa relação amor ódio que conseguiu evoluir e civilizar-se um bocadinho. 
  A relação amor ódio chega a meter medo, de tal maneira os intervenientes se detestam, tais são as partidas que pregam um ao outro e a sua incapacidade de comunicar como gente normal. 
  Quando se trata de simples cão e gato o caso é menos grave e assenta em motivo menos fracturantes: as birras são mais discretas, as brigas mais privadas...e mais cómicas; só os íntimos deitam as mãos à cabeça e dizem "vocês não passam um sem o outro, não sei porque não se entendem de vez!". 

Aliás, "outra vez???", "lá estão estes de candeias às avessas!" ou "vira o disco e toca o mesmo...não há paciência!" são as frases que mais se ouvem quando se comenta um casalinho assim. É que na maior parte dos casos, o cão e o gato são muito parecidos. Eu não acredito lá muito no xaroposo conceito de alma gémea, mas se as há, acho que muitas passam um período cão e gato, com uma tensão de cortar à faca por timidez, ressentimento e questões de poder ("hás-de mostrar primeiro que gostas de mim, senão não acredito em ti") ou ciúmes. Como dizia a avó "estes são duas pedras ásperas!".
Se tudo correr pelo melhor, o modo "cão e gato" é só isso mesmo, um modo, uma fase. Claro que quem assiste tem dificuldade em perceber como é que tanta tensão não desgasta completamente o que sentem um pelo outro.

Bom, nem sempre as discussões minam ou destroem. Por vezes é preciso ventilar, argumentar, pôr as coisas à luz para chegar a um entendimento. Se os sentimentos são sólidos não é burilá-los, poli-los e limar arestas que as enfraquece. Depois de uma situação muito negra, pode ser necessário exteriorizar vezes sem conta até deitar fora todas as impurezas. Um balde de água suja precisa de muita chuva, muita água limpa a cair-lhe em cima para que o seu conteúdo fique claro e transparente. 

 É deixá-los e não fazer caso: lá se entendam...



No comments:

Textos relacionados:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...